Feira de Santana: vereador da bancada evangélica defende direito de expressar ideias e valores

Edvaldo Lima diz que pensamento é livre e que irá defender seu ponto de vista.

Edvaldo Lima diz que pensamento é livre e que irá defender seu ponto de vista.

Em pronunciamento na Câmara Municipal de Feira de Santana, nesta segunda-feira (16/05/2016), o vereador Edvaldo Lima (PP), com relação às críticas que vem recebendo do movimento LGBT, afirmou que irá defender seu ponto de vista e que o livre pensamento é direito de todos e está contido na Constituição Federal.

“A Constituição Federal está em minhas mãos, mas pelo jeito vamos ter que rasgá-la, colocá-la no lixo. Mas vou acreditar, acredito na Constituição e no seu artigo 5º, que diz que é um direito a liberdade de pensamento. O vereador  Edvaldo Lima parece que está incomodando muita gente e pretendo continuar incomodando; não é o grupo GLBT que vai fazer o vereador Edvaldo Lima calar a boca”, afirmou o pepista.

O edil informou sobre um documento do Grupo Liberdade Igualdade e Cidadania Homossexual (Glich) que foi encaminhado à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – Subsecção Feira de Santana.

“Fizeram encaminhamento para a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – Subseção Feira de Santana pedindo providências porque o vereador Edvaldo Lima se pronunciou, para que possa ter respeito com as pessoas. Entendo que esse grupo não respeita a sociedade e querem o respeito para eles, mas para os demais não”, avalia.

Segundo o vereador, o documento é assinado por Renata Nunes, da coordenação de Comunicação da Parada Gay de Feira de Santana, e Fábio Ribeiro, secretário geral do Glich.

“Aqui me pronunciei sobre a clínica que atende às mulheres, que é o Centro de Referência Maria Quitéria. Pronunciei-me e vou continuar me pronunciando. Não vou me calar diante dessas aberrações. O cidadão quer utilizar um espaço que é proibido para ele, espaço que é direito das mulheres”, disse o pepista, reforçando sua crítica ao possível atendimento de transexuais e travestis no referido Centro.

O edil afirmou que, caso seja necessário, ele dará explicações à Justiça. “Estou aqui pronto para me apresentar à Justiça e dar explicações, se for necessário. Vou estar contra sim, pois o Centro é referência para as mulheres, e não para os homens. Quem nasceu homem, que busque clínica para homens; e quem nasceu mulher, que procure a clínica para mulheres”, declarou.

Edvaldo Lima pontuou ainda que está sendo chamado de homofóbico em redes sociais, mas que não está preocupado com isso. “Como nas redes sociais estão superlotadas de mensagens dizendo que sou homofóbico, mas não estou preocupado com isso; estou preocupado com as famílias para não receberem as cartilhas, não ser ensinado ideologia de gênero nas escolas, vou estar defendendo o direito sagrado nesta cidade”, ressaltou.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br