Feira de Santana: sobre crime ambiental na Lagoa do Subáe, líder do governo diz “imaginamos que aquilo não está correto”

José Carneiro diz que não recebeu informações da Secretaria de Meio Ambiente sobre obra em lagoa Subaé.

José Carneiro diz que não recebeu informações da Secretaria de Meio Ambiente sobre obra em lagoa Subaé.

O líder do Governo na Câmara, vereador José Carneiro (PSDB), durante discurso na tribuna da Casa da Cidadania, na manhã desta terça-feira (24/05/2016), comentou a denúncias dos edis Cíntia Machado (PMB) e Alberto Nery (PT) acerca da Lagoa do Subaé, situada na BR 324, em Feira de Santana. O petista afirmou que não recebeu informações da Secretaria de Meio Ambiente sobre o assunto.

“Queria me referir a uma questão da visita ao canteiro de obras daquela empresa, onde, segundo denúncias, está aterrando a Lagoa Subáe. Primeiro, queria dizer, como líder do Governo, que não recebi absolutamente nenhuma orientação do secretário Maurício Carvalho, para, no mínimo, dar uma explicação sobre aquela situação. Silêncio para mim, é porque quem cala consente. O silêncio representa algo que não quer despertar”, afirmou.

O edil acredita que é importante que haja esclarecimento sobre o caso por parte da Secretaria Municipal de Meio Ambiente. “Acho que, no mínimo, precisava passar para mim ou Marcos Lima, vice-líder, informações detalhadas sobre a situação. Como não tenho informação da própria Secretaria, algumas coisas me chamam atenção”, disse.

Segundo José Carneiro, o ex-vereador Roberto Tourinho, no período em que esteve à frente da pasta, vetou a obra, que foi liberada pelo atual secretário Maurício Carvalho.

“Quando o então secretário Tourinho estava à frente da pasta não liberou a licença, vetou a obra. E a informação que termos é que três, quatro dias depois que Maurício Carvalho assumiu, ele liberou a obra. Fica, no mínimo, uma interrogação”, afirmou.

O edil salientou ainda que não é da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) o laudo citado pelo vereador Alberto Nery (PT) atestando que o empreendimento que está sendo erguido na BR 324 situa-se em área de preservação ambiental.

“Queria informar que o laudo não foi da Uefs, e sim do engenheiro Gerinaldo Costa, que é professor da Universidade. Isso não quer dizer que Gerinaldo esteja errado. O que me preocupa é que a Secretaria, pelo que ouvi dos colegas vereadores, permitiu que a empresa contratasse outra empresa para dar o parecer, e isso é esdrúxulo; isso me deixa muito preocupado, se constatado a veracidade dessa situação”, destacou.

Em aparte, o vereador Alberto Nery comentou o assunto. “O laudo é um estudo geográfico da área da lagoa. Não é um laudo feito apenas por Gerinaldo. Quero dizer também que a empresa fez a parte dela em relação à preocupação com essa questão. Que a comissão possa também contratar um geólogo para fazer um estudo e, assim, termos embasamento para não estarmos falando aleatoriamente”, sugeriu.

Retomando a palavra, o vereador José Carneiro disse que também esteve visitando a referida obra.  “Não sou técnico, apenas vi a olho nu uma máquina tirando uma camada de barro, que imagino que seja da própria lagoa. E, diante do que vimos a olho nu, como leigo, imaginamos que aquilo não está correto”, avalia.

O líder governista garantiu que o prefeito José Ronaldo de Carvalho (DEM) é contra qualquer tipo de irregularidade. “Temos um Governo em Feira comandado pelo prefeito José Ronaldo que não permite, não admite que aconteça no seu Governo coisas que venham a denegrir a imagem. Tenho a certeza de que o cidadão José Ronaldo e prefeito desta cidade não vai permitir nunca que use o seu Governo para outros fins. Não quero acreditar que usou de má fé, quero acreditar na idoneidade do secretário Maurício Carvalho e do ex-vereador Tourinho, mas se algo acontecer, prepare a cabeça, pois o prefeito não perdoa”, ressaltou.

Limite territorial entre Feira e São Gonçalo

Mudando de assunto, José Carneiro falou sobre os moradores dos loteamentos Parque Viver, Morada Feliz, Jardim Aliança e conjunto Alameda das Árvores, que reivindicam a definição dos limites territoriais entre os municípios de Feira de Santana e São Gonçalo dos Campos.

“Quero me referir a essa questão, pois conheço ao longo do tempo da luta desses moradores, luta travada pelo reconhecimento. Recordo-me da luta do senhor Domingos, que é pioneiro em busca de reconhecimento para essas áreas. O que me deixa preocupado é que alguns, de forma radical, querem atribuir o problema enfrentado a grupo político A ou B, quando na verdade entendemos que o grande responsável é o Governo do Estado, que tem que determinar de quem é a área”, ressaltou.

Na oportunidade, o edil parabenizou o discurso do líder da bancada de oposição a respeito do assunto. “Quero parabenizar o vereador Alberto Nery pela coerência, que mesmo sendo do PT, precisa afirmar que, no mínimo, a comissão territorial tem sido omissa ao longo dos anos. Não podemos responsabilizar os Governo de Feira ou São Gonçalo, porque quem define é o Governo do Estado. Fica o nosso protesto a essa comissão inoperante que acompanha a questão há anos e não toma uma providência”, findou.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br