Eleições 2016 – Salvador: PSOL realiza primeira oficina de formação política com pré-candidatos a vereador

PSOL de Salvador realiza oficina de formação política com pré-candidatos a vereador.

PSOL de Salvador realiza oficina de formação política com pré-candidatos a vereador.

Como preparação para disputar a corrida eleitoral deste ano, o Partido Socialismo e Liberdade realizou a primeira oficina de formação política destinada aos pré-candidatos a vereadores da capital baiana, neste sábado (14/05/2016). Discussões sobre o papel desempenhado pelos parlamentares do PSOL no Brasil, racismo, machismo, homofobia, socialismo, conjuntura política nacional esquentaram o debate.

O Presidente do Diretório Municipal, Fábio Nogueira, esclareceu que  a perspectiva do socialismo deve ter  a pauta racial como elemento central e o povo negro como sujeito de transformação social. “O PSOL combate à intolerância religiosa, o racismo, o machismo. Não adianta tentar fazer revolução sem o povo”, frisou . Nogueira salientou que a diferença entre o PSOL e o PT consiste no fato de que o Partido dos Trabalhadores não implementou o Programa Democrático Popular como havia prometido.  “ Um projeto de esquerda se constrói coletivamente, a partir do diálogo. O socialismo se faz no cotidiano, através das lutas sociais. Precisamos construir uma ferramenta política-partidária articulada com os movimentos sociais”, frisou Nogueira.

 O pré-candidato a vereador do PSOL e ex-Presidente Estadual da sigla, Marcos Mendes, participou da oficina e ressaltou que o mandato de vereador  deve ter a função de fiscalizar o Executivo e elaborar Projetos-Lei que beneficiem a sociedade. Mendes aproveitou a oportunidade para lembrar que no Uruguai após a legalização da maconha, caiu a zero os casos de violência relacionados ao tráfico de drogas. “ Precisamos entender que o processo educativo é muito mais interessante que o sistema repressivo. Quem morre com o tráfico de drogas são  os  jovens negros da periferia de Salvador”, pontuou o psolista.

O vereador Hilton Coelho enfatizou durante o debate que os militantes do PSOL não podem ser omissos à uma cena de racismo e de machismo. Segundo Hilton, um socialista não pode perder a postura ativa diante da opressão, deve endurecer sem perder a ternura. O parlamentar destacou também sobre a importância do Brasil realizar a auditoria da dívida pública para ampliar o investimento nas áreas da saúde, educação e segurança pública.

A militante e professora de História da Rede Pública Estadual, Meire Reis, explicou que ser socialista significa lutar por uma sociedade na qual o capitalismo não seja a única alternativa. “ As condições de vida em Cuba são muito melhores do que a da sociedade brasileira. Cuba conseguiu erradicar o analfabetismo!”, pontuou a liderança.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br