Banco Mundial aumenta em 10% previsão do custo do petróleo em 2016

Barril do petróleo deve custar US$ 41 em comparação com os US$ 37 previstos em janeiro de; estudo indica que países que fizeram empréstimos e grandes investimentos podem ter dificuldades em pagar as dívidas.

Barril do petróleo deve custar US$ 41 em comparação com os US$ 37 previstos em janeiro de; estudo indica que países que fizeram empréstimos e grandes investimentos podem ter dificuldades em pagar as dívidas.

Os preços globais de petróleo bruto devem subir em cerca de 10% neste ano, segundo uma previsão do Banco Mundial. A instituição aponta um “sentimento de melhoria do mercado e enfraquecimento do dólar norte-americano”.

De acordo com a Previsão dos Mercados dos Produtos Básicos, o valor do produto deverá passar a US$ 41 por barril, ao contrário dos US$ 37 previstos em janeiro.

Nível Baixo

O estudo revela que o mercado de petróleo bruto recuperou-se de um nível baixo de US$ 25 por barril, em meados de janeiro, para US$ 40 por barril em abril.

Os motivos apontados para a melhoria incluem as interrupções na produção do Iraque e da Nigéria, além da queda da produção em países que não fazem parte da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, Opep.

A instituição adverte, entretanto, que os preços das matérias-primas vão continuar muito abaixo dos níveis do ano passado, o que pode ressentir-se nos países ricos em recursos.

Preços da Energia

A expectativa do Banco Mundial é que todos os preços da energia que incluem o do petróleo, do gás natural e do carvão possam baixar em comparação ao ano passado. Entretanto, a queda de 24,7% prevista em janeiro, para este ano, foi revista em baixa para 19,3%.

Recursos

O Banco Mundial adverte que o custo baixo dos produtos básicos “prejudica as previsões de crescimento de muitos países ricos em recursos que tiveram um surto de exploração, investimento e produção durante a expansão de produtos básicos na década de 2000″.

As economias que fizeram empréstimos e grandes investimentos na esperança de um crescimento mais rápido “talvez tenham dificuldade em cumprir a sua dívida”.

O outro obstáculo pode ser “manter o investimento quando o crescimento for desapontado em consequência do preço mais baixo dos produtos básicos”.

*Com informação da Radio ONU.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br