Universitários fazem protesto contra impeachment em Brasília

A UNE protesta, na UnB, contra processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

A UNE protesta, na UnB, contra processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

Na Universidade de Brasília (UnB), a mobilização pelo Dia Nacional de Paralisação nas Universidades em Defesa da Democracia, convocada pela União Nacional dos Estudantes (UNE), começou com uma roda de estudantes de mãos dadas e gritos de “não vai ter golpe”. Na entrada do Instituto Central de Ciências (ICC), eles discursaram contra o impeachment da presidenta Dilma Rousseff e em defesa da democracia.

A mobilização foi convocada na quinta-feira (28/04/2016) em universidades e faculdades espalhadas pelo país com ações como marchas, debates, aulas públicas, assembleias e atos na porta das instituições. Na UnB, cerca 150 estudantes participaram do ato.

A vice-presidenta regional da UNE, Luiza Calvette, explicou que dirigentes de centros acadêmicos da UnB convocaram os estudantes para a assembleia hoje para que a comunidade acadêmica demonstre a preocupação com a condução do processo de impeachment e com o futuro da educação no país.

Defesa da democracia

“Não é um ato em defesa do governo, da Dilma [Rousseff], é um ato em defesa da democracia e pelos nossos direitos. Acreditamos que o processo de impeachment, como vem sendo feito, é golpista porque não há base legal contra a presidente. Ela não cometeu crime de responsabilidade. Além disso, tememos o programa proposto por Temer [Michel Temer, vice-presidente] que mexe nos nossos direitos e nos programas sociais para reduzir a desigualdade”, disse Luiza.

A presidenta da UNE, Carina Vitral, disse que os estudantes têm papel central no momento político que vive o país. “Neste momento, não seria outra parte da sociedade, senão os estudantes, a reagirem a esse atentado à democracia. Impeachment sem base legal é um golpe contra a nossa democracia. Somos a mesma UNE que conquistou as eleições direitas, que derrubou um presidente por meio de um processo de impeachment, e é, por isso, que sabemos qual o critério para ter impeachment. Pedalada fiscal não é crime de responsabilidade”, disse a discursar para os estudantes na UnB.

Balanço do dia da mobilização divulgado pela UNE, por volta das 14h30 de hoje, relata que ocorreram pelo menos 65 atos em instituições de ensino superior. Segundo a UNE, na Universidade Federal do Ceará houve uma caminhada entre os blocos da instituição e foi realizada uma aula pública nos jardins da reitoria sobre o Estado Democrático de Direito e a luta pela democracia.

Na Universidade Estadual de Santa Cruz, em Ilhéus, também ocorreu um ato em que os participantes fecharam os portões. Na Universidade Federal da Paraíba também houve uma aula pública sobre democracia.

*Com informação da Agência Brasil.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br