Problema das drogas afeta todos os países e setores da sociedade

Ian Eliasson em discurso na sessão especial da Assembleia Geral.

Ian Eliasson em discurso na sessão especial da Assembleia Geral.

Assunto está sendo debatido na sessão especial da Assembleia Geral sobre o o assunto; vice-secretário-geral da ONU afirmou que o tráfico de drogas e as organizações criminosas fomentam a violência e a corrupção.

“O problema das drogas afeta virtualmente todas as nações e todos os setores da sociedade”. A afirmação foi feita pelo vice-secretário-geral da ONU, Jan Eliasson, na abertura da sessão especial da Assembleia Geral sobre o problema mundial das drogas.Eliasson disse que “o tráfico de drogas e as organizações criminosas fomentam a violência e a corrupção”. Segundo ele, enfraquecem as instituições e o Estado de direito.

Terrorismo e Extremismo Violento

O número dois da ONU disse ainda que “como dito pelo Conselho de Segurança, os lucros do tráfico de drogas estão financiando o terrorismo e o extremismo violento no mundo atual”.

Eliasson afirmou que as políticas de combate devem usar de todos os meios para solucionar o problema. Ao mesmo tempo, devem respeitar os direitos humanos e considerar alternativas a sentenças de prisão e a outros tipos de punição, incluindo encarceramento ou pena de morte.

O diretor-executivo do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, Unodc, Yuri Fedotov, afirmou que as políticas globaisde drogas devem colocar a “pessoa” em primeiro lugar.

Isso quer dizer que devem ser utilizados métodos equilibrados que respeitem os direitos humanos, de saúde e que promovam a segurança de todas as sociedades.

Recomendações

O documento final aprovado pelos Estados-membros reafirma o compromisso e objetivos da comunidade internacional que reunem três convenções internacionais sobre o controle das drogas.

Fedotov disse que “a determinação é atacar o problema mundial das drogas e promover ativamente uma sociedade livre do consumo de drogas”.

O documento fornece recomendações operacionais para lidar com a redução da oferta e da procura, acesso a remédios controlados (tarja preta) e evitar desvios.

Ele também cita questões de direitos humanos e envolvendo jovens, crianças e mulheres. Os Estados-membros preveem também novos desafios que possam surgir com o tempo, que inclui o uso de novas substâncias psicoativas.

Os países querem ainda fortalecer a cooperação internacional e o desenvolvimento de métodos alternativos.

Fedotov declarou que a “sessão especial é uma oportunidade para que a comunidade internacional possa ter uma compreensão maior do desafio que está enfrentando”.

A agência da ONU prometeu apoiar os países na implementação dos termos do acordo que incluem acesso a remédios para aliviar dor e sofrimento e ainda promover prevenção, tratamento, reabilitação e reintegração.

A Unodc prometeu também combater o cultivo, a produção e o tráfico de drogas, assim como lutar contra o crime organizado, a lavagem de dinheiro e o financiamento ilícito. Ainda na lista estão o combate à corrupção, ao crime organizado transnacional e terrorismo.

SaúdeA diretora-geral da Organização Mundial da Saúde, Margaret Chan, deixou claro que o problema mundial das drogas é uma preocupação primordial da OMS.

Segundo Chan, clacula-se que 27 milhões de pessoas no mundo tenham algum tipo de dependência de drogas, mais de 400 mil morrem todos os anos por causa do problema.

A chefe da OMS explicou que os danos sociais e de saúde causados pelo uso de medicamentos psicoativos são enormes. Eles danificam a saúde física e mental do dependente e reduzem drasticamente o tempo e a qualidade de vida dessas pessoas.

*Com informação da Rádio ONU em Nova York.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br