Manifestantes comemoram aprovação do pedido de impeachment em Salvador

Deputados comemoram aprovação do relatório do impeachment.

Deputados comemoram aprovação do relatório do impeachment.

Como numa vitória em final de copa do mundo, os manifestantes contra o governo federal comemoraram a aprovação do pedido de abertura de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, na noite deste domingo (17/04/2016), em Salvador. Reunidos na praia do Jardim de Alah, os participantes do ato tiveram que deixar o gramado e os telões ao ar livre por conta da chuva que caiu desde o início da votação. Ainda na orla, os defensores do impeachment se espalharam em quatro bares que transmitiam, ao vivo, a votação na Câmara dos Deputados, em televisores.

Quando faltavam dois votos para a aprovação do processo, os espectadores, vestidos de verde e amarelo, cantaram o Hino Nacional e proferiam frases como “o PT acabou” e “não vai ter golpe, vai ter impeachment”.

O líder do Movimento Brasil Livre na Bahia, Siqueira Júnior, comemorou o resultado em outro local e se disse otimista com a votação no Senado, para onde segue a decisão sobre o mandato de Dilma. “A votação foi um pouco mais apertada do que imaginávamos, mas ocorreu tudo conforme nossa expectativa e conseguimos a aprovação desse pedido. A perspectiva para o Senado é a melhor possível, acreditamos que, com essa derrota na câmara, o senado vai acatar as vozes das ruas, as manifestações do dia 13 de março e as festas que acontecem hoje, em todo o Brasil, que é uma data histórica”.

O microempresário baiano Roberto Macedo se emocionou quando a oposição conseguiu os 342 votos favoráveis ao processo. “Eu votei em Lula e no PT e me arrependo disso. O Brasil é rico e eles estão acabando com a ética e a moral do nosso país. A expectativa no Senado não é das melhores, porque a gente sabe que eles [senadores] estão com o PT”, disse chorando.

Após o resultado pela continuidade do processo, os manifestantes saíram às ruas da orla comemorando. Carros passavam buzinando, enquanto organizadores soltavam fogos de artifício à beira da praia.

Mobilizações contra impeachment

No Farol da Barra, os manifestantes contrários ao impeachment lamentaram o resultado e afirmaram que “o golpe foi dado na democracia”. Para a integrante da Frente Brasil Popular na Bahia Júlia Garcia, o resultado não surpreendeu e a expectativa para o Senado também não é animadora. “A gente teve que se preparar para essa situação, mas acreditamos na mobilização como forma de barrar o golpe, que está em andamento e o povo vai pra rua. Para o senado, as contas nos mostram que pode ser aprovado [o processo], mas faremos pressão nas ruas para que isso não passe adiante, apesar de ser uma instituição bem conservadora”, declarou Júlia Garcia.

As frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo divulgaram, em nota, que não aceitarão “o golpe”. Além disso declararam: “a nossa luta continuará com paralisações, atos, ocupações já nas próximas semanas e a realização de uma grande Assembleia Nacional da Classe Trabalhadora, no próximo 1º de maio”.

Momento difícil

Em nota, o Governador da Bahia, Rui Costa (PT), disse que este “é um momento difícil para o país” e lamentou que uma sessão na Câmara dos Deputados fosse presidida “por alguém como Eduardo Cunha, numa trama orquestrada ao lado do vice-presidente [da República] Michel Temer”.  Segundo o governador, apesar do resultado da votação, o país não pode parar para as disputas políticas.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br