Mais um ministro do PMDB mantém apoio ao governo Rousseff

Ministro Eduardo Braga segue no cargo e diz que saída do PMDB do governo foi precipitada.

Ministro Eduardo Braga segue no cargo e diz que saída do PMDB do governo foi precipitada.

A reunião que definiu a saída do PMDB do governo, no último dia 29, foi precipitada e não deveria ter ocorrido naquela data, disse na segunda-feira (04/04/2016) o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, que é filiado ao PMDB do Pará e permanece no cargo, apesar da decisão do partido de entregar os cargos que ocupa na administração federal.

Após uma reunião de 40 minutos com o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, Braga disse que continuará trabalhando como ministro para “servir ao país”.

“Fui um daqueles que, desde o início, falei que imaginava, acreditava e continuo acreditando que aquela reunião do dia 29 [de março, em que o PMDB confirmou a saída do governo] não deveria ter acontecido nesse dia. Que era uma precipitação, e continuo defendendo isso”, afirmou Braga.

Sobre a permanência do governo, o ministro comparou seu trabalho ao de um soldado, mas evitou confirmar se pretende ficar na pasta. “Sou um soldado. Estou para servir o país e para servir à nossa população. Estou trabalhando. Tenho me dedicado intensamente. Nós estamos à disposição da presidente”, afirmou.

O ministro não comentou a ameaça de sofrer punições do PMDB. Apenas disse que divergências são normais na história do partido: “Acho que, neste momento, o PMDB é um partido importante para o diálogo com a nação brasileira e com o Congresso Nacional. O Brasil não pode ficar paralisado e a população sofrendo com a falta de respostas para nossos problemas econômicos e sociais”.

Na semana passada, o Diretório Nacional do PMDB decidiu, numa reunião de três minutos, romper oficialmente com o governo da presidenta Dilma Rousseff. No encontro, foi determinado que os seis ministros do partido e os filiados que ocupam cargos no executivo f entregassem os postos. Além da pasta de Minas e Energia, o partido comanda os Ministérios de Ciência e Tecnologia (Celso Pansera), da Aviação Civil (Mauro Lopes), da Saúde (Marcelo Castro), da Agricultura (Kátia Abreu) e a Secretaria Especial de Portos (Helder Barbalho).

Sobre a possibilidade de redução dos preços dos combustíveis, Braga disse que desconhece quaisquer discussões em torno do tema e que não poderia passar informações. Hoje à noite, a Petrobras publicou nota em que nega a intenção de baratear a gasolina e o óleo diesel nas refinarias.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br