Leilão negocia 3,4 mil km de linhas de energia com investimento de R$ 7 bilhões; Bahia foi um dos estados beneficiados

Rede de transmissão de alta tensão é leiloada. O leilão teve cerca de R$ 7 bilhões em investimentos e apresentou deságio médio de 2,96% ao preço inicial ofertado.No Lote M, referente à ampliação do sistema no sul da Bahia, a vencedora foi a WPR Participações, com deságio de 15,07%.

Rede de transmissão de alta tensão é leiloada. O leilão teve cerca de R$ 7 bilhões em investimentos e apresentou deságio médio de 2,96% ao preço inicial ofertado.No Lote M, referente à ampliação do sistema no sul da Bahia, a vencedora foi a WPR Participações, com deságio de 15,07%.

Leilão realizado na quarta-feira (13/04/2016) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), na capital paulista, negociou 3.402 quilômetros de linhas de transmissão e subestações que acrescentam 7.265 mega-volt-amperes (MVA) em capacidade ao sistema elétrico do país. O leilão teve cerca de R$ 7 bilhões em investimentos e apresentou deságio médio de 2,96% ao preço inicial ofertado.

Foram 14 lotes negociados, com empreendimentos nos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Espirito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins.

O maior deságio, de 15,07%, foi verificado no Lote M, arrematado pela WPR Participações Ltda. O valor ofertado pela empresa, de R$ 59,5 milhões, foi menor que o teto da Receita Anual Permitida (RAP), estabelecido pela Aneel para o lote, de R$ 70,1 milhões. O empreendimento, na Bahia, servirá para expandir o sistema de transmissão da região sul baiana para adequado atendimento aos consumidores. As empresas vencedoras terão prazo, para realizar as obras, de 36 a 60 meses. As concessões são de 30 anos e valem a partir da assinatura dos contratos.

Resultados

O Lote A – que envolve os estados do Maranhão, Piauí e Ceará, e tem como objetivo interligar os futuros empreendimentos de geração eólica das regiões litorâneas desses estados – foi arrematado, em proposta única, sem deságio, pelo Consórcio Transmissão do Brasil. Também sem deságio, o Lote C, localizado nos estados de Minas Gerais e São Paulo, teve como vencedora a State Grid.

O Lote E recebeu lance do Consórcio Nordeste, com deságio de 4,99%, mas foi arrematado pela WPR Participações, que ofertou deságio de 14,05%. Esse lote deve reforçar a interligação das linhas de transmissão entre Nordeste e o Sudeste. O Lote F, voltado ao aumento do suprimento de energia na grande São Paulo, teve como vencedor o Consórcio KV-LT, em proposta única, sem oferecer deságio.

Após disputa acirrada entre duas participantes, a Alupar Investimento e o Consórcio Nordeste, o Lote I foi arrematado pela Alupar, com deságio de 11,01%. A princípio, ambas ofertaram o mesmo deságio, de 6%. A concorrência continuou com mais 237 lances, durante quase uma hora. O objetivo do lote é fortalecer as redes da parte leste do Nordeste.

A construção de rede na região de Campinas, voltada à proteção de sobrecarga, levando em conta o elevado recebimento pelo Sul com a Transmissão de Belo Monte, integrou o Lote L. Este foi arrematado pela F3C Empreendimentos e Participações com deságio de 0,63%.

No Lote M, referente à ampliação do sistema no sul da Bahia, a vencedora foi a WPR Participações, com deságio de 15,07%. O Lote O, na Região Norte e no Baixo Araguaia, foi disputado por três participantes, sendo adquirido pela State Grid, com deságio de 5,29%.

Com linhas em Palmas, o Lote P teve como vencedora a Transmissora Esperança de Energia Elétrica, sem deságio. Com objetivo de atender ao crescimento de demanda e reduzir a dependência do despacho térmico do litoral norte do Rio Grande do Sul e sul de Santa Catarina, o Lote Q foi arrematado pelo Consórcio Brafepower, sem deságio.

O Lote S, que reforça a energia em Guarulhos, foi adquirido pela Zopone Engenharia e Comércio, sem deságio. Arrematado pela Alupar Investimento, sem deságio, o Lote T atende à parte sul do Espírito Santo. O lote W, com linhas no Pará, teve deságio de 7,09% e foi arrematado pelo Consórcio MPE-KV. O lote X, no Mato Grosso, foi adquirido pelo consórcio Geogroup e teve deságio de 11,36%.

Esta foi a primeira fase do leilão, dividido em duas etapas por serem lotes grandes, com várias linhas de transmissão e subestações. Havia temor de que o número de lotes vazios fosse ainda maior, caso não fosse feita a divisão. A próxima etapa de leilão ocorre no dia 1º de julho.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br