Hemoba oferece tratamento multidisciplinar gratuito a portadores de hemofilia

Dia Mundial da Hemofilia Na foto: Wilson Carlos Azevedo Lima, Presidente da Associação Baiana de Hemofílicos, sendo medicado.

Dia Mundial da Hemofilia
Na foto: Wilson Carlos Azevedo Lima, Presidente da Associação Baiana de Hemofílicos, sendo medicado.

Mais de 800 pacientes portadores de hemofilia realizam tratamento gratuito, para controlar a doença, na Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba), localizada na Avenida Vasco da Gama, em Salvador. Os atendimentos periódicos, desenvolvidos por uma equipe multidisciplinar da fundação, oferecem diversos serviços, desde fisioterapia até a aplicação venosa do medicamento, custeado pelo Ministério da Saúde, o que tem melhorado a qualidade de vida dos hemofílicos e ajudado também na prevenção.

“Com a quantidade que recebemos, podemos aplicar doses do medicamento periodicamente nos portadores da doença que estão cadastrados no Hemocentro. É como se eles estivessem sob efeito do remédio, aliviando as dores nas articulações e prevenindo os sangramentos”, explica a hematologista Larissa Rocha, coordenadora do Ambulatório da Hemoba.

A hemofilia é uma doença congênita, classificada em leve, moderada ou grave, sendo que 99% dos portadores são do sexo masculino. A enfermidade é um defeito no sistema de coagulação do sangue, tendo como principais sintomas o sangramento recorrente e o inchaço nas articulações. Com a doença, uma situação aparentemente banal pode ter consequências desastrosas.

“No passado, perdi um irmão quando ele tinha apenas sete anos de idade. O motivo foi um sangramento causado pela retirada de um dente de leite. Eu também era criança e lembro que o sangue não parava de descer”, diz o presidente da Associação Baiana de Hemofilia, Wilson Carlos Azevedo Lima, que é portador da doença.

Wilson é paciente do Hemoba desde 1993. Na fundação, ele realiza atividades fisioterápicas e recebe medicamentos para controlar a hemofilia. “Tenho a doença no nível grave, mas tenho conseguido controlar os sintomas graças ao acesso ao medicamento”.

Dia Mundial da Hemofilia

A atenção da Hemoba com os hemofílicos ultrapassa as barreiras da relação médico-paciente. Para comemorar o Dia Mundial da Hemofilia (17 de abril), funcionários da fundação vão apresentar para os pacientes a peça ‘Bota a Cara no Sol’, dirigida pelo almoxarife Paulo Nery, neste sábado (16/04/2016), às 16h, no Teatro Sesi do Rio Vermelho, em Salvador. O espetáculo é uma homenagem descontraída, voltada à valorização do ser humano. “A peça não tem a doença como tema. O nosso objetivo é abordar situações do cotidiano em formado de humor e mostrar que, apesar da hemofilia, os pacientes são pessoas como outra qualquer”, explica Nery.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br