Exposição em Andaraí mostra ‘Cenário da Memória Diamantina’

Chapada Diamantina - Andaraí - Igatú

Chapada Diamantina – Andaraí – Igatú

Artista visual e pesquisador de patrimônio Marcos Zacariades.

Artista visual e pesquisador de patrimônio Marcos Zacariades.

A Galeria de Arte e Memória, museu a céu aberto situado na Vila de Igatu, em Andaraí, na Chapada Diamantina, recebe nesta sexta-feira (22/04/2016), às 19h, a exposição ‘Cenário da Memória Diamantina’, organizada pelo artista visual e pesquisador de patrimônio Marcos Zacariades. O projeto integra o edital ‘Agitação Cultural’, de Dinamização em Espaços Culturais da Bahia, lançado em 2015 pela Secretaria de Cultura do Estado (Secult), por meio da Superintendência de Promoção Cultural.

Com 40 fotos e ferramenta multimídia das ruínas garimpeiras da Vila de Igatu, tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a mostra recebe visitantes até 28 de junho. Resultado das expedições realizadas pelo artista na localidade e arredores, o trabalho pretende resgatar e conservar as manifestações culturais da Vila. O propósito é gerar conhecimento e educação patrimonial aos moradores e visitantes.

O projeto inclui ainda um ciclo de palestras, de 18 a 21 de maio, durante a Semana Nacional de Museus, e a doação de um Inventário Fotográfico e Iconográfico, em arquivo digital, à Biblioteca Municipal Herberto Salles, em Andaraí, para uso público. Vão participar dos debates os professores da Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Luiz Freire e Viga Gordilho, além do restaurador José Dirson Argolo.

Riqueza patrimonial

O trabalho partiu da necessidade de chamar a atenção para a riqueza patrimonial das ruínas de pedras remanescentes do ciclo do diamante ocorrido na Bahia, explica o curador, ao citar a grande quantidade de moradas garimpeiras e as extensões de aquedutos, que levavam água às zonas de garimpo, as barragens, as grunas [garimpos subterrâneos] e usinas.

Segundo Marcos Zacariades, todo o aparato dessa estrutura “durante os 100 anos de exploração extrativista na região da Chapada Diamantina estão sendo prospectados, fotografados e georreferenciados para criar o Inventário Fotográfico Patrimonial do acervo”. Mais informações referentes ao projeto podem ser conferidas no site do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac).

‘Agitação Cultural’

O edital ‘Agitação Cultural’, que contempla ações de vários segmentos culturais, oferece apoio com o teto de R$ 150 mil por proposta. A iniciativa faz parte das ações do Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA). Os projetos começaram a ser realizados em janeiro e seguem até julho próximo. Criado em 2005 para estimular as produções artístico-culturais baianas, o fundo é administrado pelas secretarias estaduais de Cultura (Secult) e da Fazenda (Sefaz-BA).

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br