Escritoras baianas destacam o poder transformador da literatura infantil

Patricia Lins, autora do livro ‘Amarela da Seca’.

Patricia Lins, autora do livro ‘Amarela da Seca’.

Contempladas por edital do Governo do Estado para publicação de livros de literatura infantil, a publicitária Patrícia Lins e a psicóloga Vanina Miranda defendem o poder transformador da leitura, em especial em determinadas fases da vida, como na infância. Os livros das duas escritoras estão sendo distribuídos para alunos da rede pública de todo o estado, especialmente quando se comemora o Dia Nacional do Livro Infantil, nesta segunda-feira (18/04/2016).

No total, 1,5 milhão de títulos vão chegar a 416 municípios para auxiliar os professores na alfabetização de crianças. Cerca de 800 mil deles são obras de literatura infantil, que fazem parte de uma coleção que reuniu 19 títulos ilustrados escritos por baianos. Como iniciativa do Programa Educar Para Transformar – Um Pacto pela Educação, as cidades contempladas assinaram o acordo de cooperação para alfabetizar todas as crianças até os 8 anos de idade e, nesse sentido, estimular a leitura tem papel fundamental.

A publicitária Patrícia Lins se inspirou nos contos de fadas para escrever o ‘Amarela da Seca’, uma adaptação das histórias que remetem a uma realidade distante das crianças brasileiras e nordestinas. Durante o processo de publicação do primeiro livro,  Patrícia viveu uma experiência única de transformação através da literatura dentro de casa, com o filho Pedro, que estava se alfabetizando na época do lançamento do edital.

“Gosto de trabalhar com as palavras que toquem as pessoas, quis me inscrever porque sabia que eram livros para crianças do ciclo de alfabetização e, na época, meu filho estava se alfabetizando. Ele passou por um processo de aprender a soletrar muito cedo, mas depois de um tempo, bloqueou o aprendizado para leitura por conta de uma situação na escola”, explica a publicitária.

Patrícia acrescenta que “com esse processo de eu ter sido selecionada para a coleção e uma cerimônia para receber um certificado, Pedro ficou tão feliz e empolgado que tomou a iniciativa de [também] escrever uma história. E tudo, desde então, aconteceu de uma maneira muito rápida. Hoje, além de ler, Pedro escreve e agora divido meu computador com ele, que todos os dias escreve ‘historinhas’, como ele chama”.

Superação através da escrita

O processo de escrita não foi muito diferente com Vanina Miranda, autora de ‘Será verdade ou será mentira’, uma poesia em forma de conto. Ela cresceu entendendo que ler e escrever poderia levá-la onde quisesse. “Eu venho de uma família que já tem outros escritores, [mas] vem de uma situação econômica e social de vulnerabilidade. Ao mesmo tempo que via as dificuldades, vi também exemplos de superação através da escrita e eu acredito nessa força que a literatura tem de mudar o ser humano”, afirma.

A psicóloga ressalta que “valorizar os autores baianos foi fundamental nessa iniciativa [do edital] e fazer parte disso é muito gratificante. É uma felicidade saber que as crianças da escola pública vão receber esses livros e poderão ser tocadas pela magia da leitura”.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br