Epidemia mundial do diabetes é discutida em Audiência Pública na ALBA

Deputado José de Arimateia preside Audiência Pública sobre epidemia mundial do diabetes.

Deputado José de Arimateia preside Audiência Pública sobre epidemia mundial do diabetes.

Informação, educação e prevenção foram as palavras de ordem na Comissão de Saúde e Saneamento da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), que discutiu o diabetes e suas complicações na manhã desta terça-feira (12/04/2016). A ação comemorativa pelo Dia Mundial da Saúde, celebrado no último dia 7, foi proposta pelo Vice-presidente do Colegiado, deputado estadual José de Arimateia (PRB) e seguiu a mesma linha da Organização Mundial de Saúde (OMS), trazendo como tema “Diabetes: uma epidemia mundial silenciosa”.

Para Arimateia, o status de sétimo maior causador de mortes no mundo torna o diabetes motivo de grande preocupação. “Neste momento, o Governo deve estar preparado para fazer políticas de conscientização nas escolas. Isto é fundamental para evitar problemas graves como este no futuro”, salientou. De acordo com dados do Relatório Mundial Sobre o Diabetes, produzido pela OMS no início deste ano, 422 milhões de pessoas morreram em decorrência da doença, que, nos últimos quatro anos, cresceu 40% em países de média e baixa renda, como o Brasil.

O angiologista e cirurgião vascular Dr. Marcelo Liberato chamou a atenção para outros dados alarmantes, que indicam que um quarto dos diabéticos terão alguma úlcera ao longo da vida, enquanto 85% das amputações são precedidas por este problema. “Quando o paciente chega com este tipo de complicação nos membros inferiores, ele já está grave, seja do ponto de vista renal, cardiológico ou por AVC”, alertou o médico.

Segundo Dr. Marcelo, estimativas dizem que, em 2008, houve no Brasil 170 mil admissões hospitalares por úlceras, sendo que 80 mil destes pacientes sofreram amputação e 25% morreu. “Infelizmente, sabemos que hoje, este número é bem maior. São dados quase catastróficos”, lamentou. Por outro lado, o diagnóstico precoce através da avaliação clínica anual ou semestral, atenção a fatores de risco, como insensibilidade nos membros inferiores, obesidade e sedentarismo, exame detalhado dos pés e estímulo ao autoexame constante são medidas simples e salvadoras, de acordo com o médico.

Outro cuidado essencial para a prevenção do diabetes é a alimentação. A nutricionista Dra. Manoela Gouveia, destacou que o Relatório Mundial Sobre o Diabetes aponta que um em cada três adultos tem sobrepeso e uma em cada dez pessoas tem algum grau de obesidade, que está diretamente associada ao tipo 2, forma mais comum da doença. “O objetivo da OMS, com esse relatório, é alertar que a maior parte dos casos de diabetes está ligada a fatores comportamentais e estilo de vida, portanto, pode ser prevenido”, afirmou. Segundo ela, manter peso e alimentação saudáveis, aliados à prática de atividade física são formas de diminuir novos casos da doença.

Além dos dois palestrantes, a Audiência Pública contou ainda com a presença da Diretora do Centro de Diabetes e Endocrinologia do Estado da Bahia (CEDEBA), Dra. Reine Fonseca, que contou a trajetória de 22 anos da unidade de assistência especializada. Todos os presentes puderam também fazer a medição de glicemia no sangue, realizada em parceria com profissionais do Serviço Médico da Assembleia Legislativa da Bahia.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br