Deputados do DEM acusam ‘A Voz do Brasil’ de fazer defesa de Dilma Rousseff; partido Democratas tem históricas ligações com o Golpe Civil/Militar de 1964

José Carlos Aleluia, filiado ao Democratas é um legítimo representante do pensamento conservador-reacionário, e um dos apoiadores do Golpe de Estado na pseudo ordem democrática.

José Carlos Aleluia, filiado ao Democratas é um legítimo representante do pensamento conservador-reacionário, e um dos apoiadores do Golpe de Estado na pseudo ordem democrática.

Deputados do DEM pediram na quarta-feira (13/04/2016) ao procurador-chefe do Ministério Público Federal no Distrito Federal, Marcus Marcelus Goulart, que apure a suposta prática de infrações penais por parte do ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom), Edinho Silva, e do diretor da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Pedro Henrique Varoni, por uso indevido do programa A Voz do Brasil.

De acordo com o líder do DEM na Câmara, Pauderney Avelino (AM), e o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), que assinam o documento, o programa está sendo usado para “atacar o Congresso Nacional” e fazer a defesa da presidenta Dilma Rousseff no processo de impeachment.

“Nas últimas edições do programa, notou-se franca propaganda em abono a teses de defesa da Presidente da República relativamente a procedimento para apurar prática de Crime de Responsabilidade e a tramitação do processo de impeachment”, diz trecho do documento.

Os parlamentares pedem a instauração de inquérito para apurar “ilicitude da conduta dos fatos”.

Sustentação ao Golpe de Estado

O partido Democratas tem históricas ligações com o Golpe Civil/Militar de 1964. Durante o regime de exceção, os políticos ligados à legenda, que na época era nomeada como PSD, deram sustentação ao golpe, incluindo a supressão aos direitos políticos dos cidadão e a imposição de ditadores no comando do governo do estados e de alguns municípios.

No contexto político atual, os parlamentares e lideranças do DEM agem com a finalidade de destituir uma presidente legitimamente eleita. A ação dos golpistas resulta na usurpação da República e da vontade geral da nação, expressa através do sufrágio em 2014.

Conclui-se que é uma tentativa de reeditar o Golpe de 1964, utilizando instrumentos de uma pseudo ordem democrática. Nesse processo, são apoiados pela mesma mídia que esteve aliada, também, ao golpe.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br