Assembleia Geral da ONU proclama Década de Ação para Nutrição

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, saudou a decisão da ONU, que chamou de "grande passo para mobilizar ação em torno da redução da fome e melhora da nutrição em todo o mundo".

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, saudou a decisão da ONU, que chamou de “grande passo para mobilizar ação em torno da redução da fome e melhora da nutrição em todo o mundo”.

A Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou na sexta-feira a Década de Ação da ONU para Nutrição entre 2016 e 2025. A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, saudou a decisão como “passo importante”; segundo a agência, atualmente, cerca de 800 milhões de pessoas permanecem “cronicamente subnutridas” e mais de 2 bilhões têm deficiências de micronutrientes.

Desnutrição

Atualmente, cerca de 800 milhões de pessoas permanecem “cronicamente subnutridas” e mais de 2 bilhões têm deficiências de micronutrientes.

Ainda segundo a FAO, aproximadamente 159 milhões de crianças com menos de 5 anos de idade sofrem de nanismo e cerca de 50 milhões de menores na mesma faixa etária têm baixo peso para sua altura.

Ao mesmo tempo, outras 1,9 bilhão de pessoas estão acima do peso, e 600 milhões destas são obesas. Além disso, a incidência de pessoas com sobrepeso está aumentando em quase todos os países.

Acabar com a Fome

Para a agência da ONU, a resolução desta sexa-feira reconhece a “necessidade de erradicar a fome e prevenir todas as formas de desnutrição em todo o mundo”.

O documento pede à FAO e à Organização Mundial da Saúde, OMS, que liderem a implementação da década em colaboração com o Programa Mundial de Alimentos, PMA, o Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola, Ifad e o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef.

A iniciativa também deve envolver mecanismos de coordenação como o Comitê das Nações Unidas para a Nutrição e plataformas multissetoriais como o Comitê sobre Segurança Alimentar Mundial.

O texto também faz um convite à participação ativa de governos nacionais, sociedade civil, setor privado e academia, entre outros.

Desenvolvimento Sustentável

Para o chefe da FAO, José Graziano da Silva, esta resolução coloca a nutrição no “coração do desenvolvimento sustentável” e reconhece que melhorar a segurança alimentar e nutricional é “essencial” para se alcançar toda a Agenda 2030.

Graziano da Silva destacou que crianças não podem aproveitar os benefícios da educação se não obtiverem os nutrientes que precisam . E para ele, as economias emergentes não alcançarão todo o seu potencial se seus trabalhadores estiverem sempre cansados porque suas dietas não são balanceadas.

Apresentando a resolução, que foi copatrocinada por 30 Estados-membros, o embaixador do Brasil junto à ONU, Antonio Patriota, considerou a Década uma grande oportunidade para reunir iniciativas para erradicar a fome e prevenir todas as formas de desnutrição, segundo ele, elementos cruciais da Agenda 2030.

A resolução desta sexta-feira também endossa a Declaração de Roma sobre Nutrição e a Plataforma de Ação adotadas durante a Segunda Conferência Internacional sobre Nutrição, Icn2, organizada pela FAO e OMS em novembro de 2014.

*Por Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York (parceiro do Jornal Grande Bahia).

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br