A força da mulher

Deputadas pedem saída de Eduardo Cunha da presidência da Câmara Federal por envolvimento em corrupção.

Deputadas pedem saída de Eduardo Cunha da presidência da Câmara Federal por envolvimento em corrupção.

Marcela Temer é bela, recatada e “do lar”. Esta frase está sendo, nos últimos dias, mais pronunciada do que o hino do Flamengo em dias de Fla X Flu no Maracanã. Virou mania nacional. Outros chegam a dizer: que mulher de sorte! Casada com o “Vice Presidente” Michel Temer a treze anos; ela com 32 anos de idade e ele com 75, formam um belo casal que nada soma para o Brasil. Ao contrário: só destrói.

Na realidade quem soma mesmo para este País são mulheres como as deputadas Moema Gramacho (PT-BA), Luiza Erundina (PSOL-SP) e tantas outras que compõem a bancada das mulheres que no dia 27, ocuparam as tribunas da Câmara e destituíram simbolicamente Eduardo Cunha do cargo de Presidente da Câmara, impedindo-o de presidir a sessão.

Tudo começou quando Eduardo Cunha colocou em votação um requerimento de seu interesse e perdeu no plenário. E, como sempre, não aceitando o resultado desta votação, logo em seguida tentou articular manobras para que sua vontade prevalecesse contra os direitos das mulheres; assunto este, que fazia parte do requerimento.

A bancada das mulheres não aceitou as manobras arbitrárias de Cunha e em protesto, segundo alguns veículos de comunicação, com um ato de coragem invadiram as tribunas da Câmara, não deixando Cunha levar suas manobras adiante; tendo que retroceder em suas ações “golpistas”. A bancada das mulheres não aceitou e não irá aceitar os arbítrios de Cunha.

Em que País nós vivemos? Um País em que, um dos maiores corruptos da história manda e desmanda com a maior tranquilidade, tudo segundo a sua vontade. Completando este “condomínio de horrores”, o stf – escrito em minúsculo mesmo – é covarde e faccioso, por isso o País está passando por esta situação absurda que O envergonha diante do mundo.

Sobre o autor

Alberto Peixoto
Antonio Alberto de Oliveira Peixoto, nasceu em Feira de Santana, em 3 de setembro de 1950, é Bacharel em Administração de Empresas pela UNIFACS, e funcionário público lotado na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, atua como articulista do Jornal Grande Bahia, escrevendo semanalmente, é escritor e tem entre as obras publicadas os livros de contos: 'Estórias que Deus Duvida', 'O Enterro da Sogra, 'Único Espermatozoide', 'Dasdores a Difícil Vida Fácil', participou da coletânea 'Bahia de Todos em Contos', Vol. III, através da editora Òmnira. Também atua incentivador da cultura nordestina, sendo conselheiro da Fundação Òmnira de Assistência Cultural e Comunitária, realizando atividades em favor de comunidades carentes de Salvador, Feira de Santana e Santo Antonio de Jesus. É Membro da Academia de Letras do Recôncavo (ALER), ocupando a cadeira de número 26. Saiba mais visitando: http://www.albertopeixoto.com.br