Vereador reclama de taxa de guincho e de estadia de veículo em pátio da 3ª Ciretran de Feira de Santana

Antonio Rodrigues Pereira (Tonhe Branco).

Antonio Rodrigues Pereira (Tonhe Branco).

Em discurso proferido na tribuna da Casa da Cidadania, nesta terça-feira (22/03/2016), o vereador Tonhe Branco (PHS) criticou o Governo Estadual, enfatizando o valor que hoje o motorista infrator paga pelo guincho e a taxa cobrada pela estadia de um veículo em pátio da 3ª Circunscrição Regional de Trânsito de Feira de Santana (3ª Ciretran).

O edil informou que ontem foi procurado por um pai de família, que teve a sua moto apreendida por uma blitz da Polícia Militar, na tarde da última sexta-feira, em Feira de Santana, uma vez que se encontrava sem o documento do veículo. De acordo com Tonhe Branco, o cidadão contou que tinha esquecido em casa o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV), mas não houve acordo.

O vereador disse que para retirar a moto do pátio da 3ª Ciretran o proprietário do veículo teve que pagar R$ 426,00, entre diária e taxa do guincho. “No dia da apreensão havia oito motos no guincho e, juntando as oito, deu R$ 3.408,00, fora o valor das multas. Ora, cadê o deputado Zé Neto, que é o líder do Governo? Ele tem que levar isso ao Governo do Estado, porque isso aqui é roubo, isso aqui é extorquir o ser humano, isso aqui não pode acontecer dentro do Detran, como também acontece dentro do SMTT”, criticou.

Em aparte, o vereador Isaías de Diogo (PSC) comentou o assunto. “Estou em dúvida aqui de algumas coisas. Vossa Excelência falou que a moto foi apreendida, porque o cidadão estava sem documento. Eu quero entender o seguinte: onde está o erro? Eu quero entender, não estou aqui defendendo, se, por exemplo, esta moto tivesse sido tomada de assalto, quem errou foi a polícia que levou a moto para apreender? Eu quero entender o seu discurso; esclarece, por favor”.

Novamente com o uso da palavra, Tonhe Branco declarou: “Isaías, não queira jogar limão dentro do leite, porque corta”.

Na sequência, o vereador Alberto Nery (PT) também disse que ficou inexplicável o discurso de Tonhe Branco, uma vez que a moto foi apreendida porque  estava irregular. O petista afirmou que o valor que o Governo Municipal cobra em Feira de Santana pelo guincho é bem maior do que a taxa que o Estado cobra pelo mesmo serviço.

Também fazendo uso do aparte, o vice-líder o Governo na Câmara, Marcos Lima (PRP) rebateu Nery, afirmando que o Estado cobra o guincho mais caro do que o Município. “Realmente, o valor maior do guincho é do Estado, que é R$ 230,00, e a Prefeitura é R$ 130,00”.

Mutirão de limpeza

Mudando de foco, Tonhe Branco cobrou do Governo Municipal  mutirão de limpeza para os bairros Limoeiro, Aviário e outras localidades. Segundo ele, já foi solicitado, por meio de ofícios, esse serviço ao secretário de Serviços Públicos, Justiniano França.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br