Vereador diz que maioria dos professores da rede municipal de Salvador não aderiu a greve

“Professores não se curvaram à política eleitoreira do sindicato”, afirma vereador Leo Prates.

“Professores não se curvaram à política eleitoreira do sindicato”, afirma vereador Leo Prates.

Segundo levantamento da Secretaria Municipal de Educação de Salvador junto às Gerências Regionais de Educação (GREs), cerca de 60% dos professores da rede municipal de ensino não aderiram à greve. “A baixa adesão ocorre porque é uma greve eleitoreira e mesquinha da APLB Sindicato. Quero enaltecer o espírito público dos professores que não se curvaram a interesses partidários e botaram a educação das nossas crianças  em primeiro lugar”, frisou o vice-líder do Governo e líder do DEM na Câmara Municipal de Salvador, Leo Prates.

Segundo o vereador, este posicionamento da “maioria dos professores é uma vitória para a educação; Salvador e, principalmente, para os 138.231 alunos da rede municipal de ensino, incluindo as crianças e jovens da Educação Infantil e Ensino Fundamental; além dos adultos da Educação de Jovens e Adultos (EJA), que são os mais prejudicadas com a falta de aulas”, finalizou.. Ainda de acordo com a secretaria, há regiões de Salvador onde 80% dos docentes estão em sala de aula.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br