TJBA decreta ilegalidade da greve de professores de Salvador

Os professores de Salvador farão nova assembleia amanhã para decidir sobre a continuidade da greve.

Os professores de Salvador farão nova assembleia amanhã para decidir sobre a continuidade da greve.

O Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA) decretou hoje (10/03/2016) a ilegalidade da greve de professores da rede pública de Salvador. A decisão, da desembargadora Sandra Inês Moraes Rusciolelli Azevedo, determina o retorno imediato dos professores às salas de aula e multa diária de R$ 50 mil em caso de descumprimento.

A categoria deflagrou a greve no dia 2, definindo a continuidade do movimento durante a assembleia na segunda-feira (7). Ontem (9), professores do município realizaram um ato pela universalização da reserva de carga horária.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Educação o Estado da Bahia (APBL), a proposta garante aos professores um terço da jornada para atividades fora da sala de aula, como planejamento de aulas e correção de atividades.

Hoje pela manhã, alguns grevistas protestaram fechando duas faixas da Avenida Garibaldi, uma das principais vias de Salvador, também em protesto.

De acordo com o sindicato, cerca de 80% das escolas estão sem aula. A prefeitura, no entanto, afirmou que 75% das unidades estão funcionando normalmente desde o início do movimento.

Uma assembleia dos professores municipais está agendada para amanhã (11), quando será decidida a continuidade ou não da greve.

*Com informação da Agência Brasil.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br