Tem início 12º festival internacional de artistas de rua da Bahia

Artista de rua realiza performance.

Artista de rua realiza performance.

O Festival Internacional de Artistas de Rua, realizado em Salvador e cidades do interior da Bahia desde 2002, é um acontecimento artístico que reúne alguns dos melhores artistas de rua do mundo e os coloca em contato com o público, de forma gratuita, a céu aberto, transformando as ruas em palcos e picadeiros, para apresentações e shows de música, mímica, acrobacia, teatro, dança, comédia e artes plásticas, que encantam gente de todas as idades. Sob a direção artística e curadoria de Bernard M. Snyder, o “homem-banda”, e direção geral e produção de Selma Santos, chegou agora a hora da décima segunda edição deste encontro mágico entre artistas e público ganhar vida novamente, sendo realizado em 2016 em quatro cidades :   nos dias 04, 05 a 06 de  março  de 2016 em Salvador (Orla do Farol da Barra), 08 e 09 em Ilhéus (Praça do Teatro, Rua Jorge Amado, Rua Dom Pedro II e Rua Marquês de Paranaguá),  11 e 12 em Valença  (Calçadão) e dia 13 em Madre de Deus (Orla).

No 12o Festival Internacional de Artistas de Rua se apresentam mais de 20 atrações artísticas de 10 países da África, Ásia, Europa e Américas. Em especial, nesta edição, muita música tomará conta das ruas, em shows com artistas africanos, como os da Aly Keita Band, que reúne músicos do Mali, do Chade e o baterista Ivan Huol, o idealizador da JAM no MAM, ou Willy Sahel e Djim Radé, do Chade, que fazem a fusão do jazz, blues, funk, soul, gospel e R & B aos ritmos da Africa Central ; da Alemanha, Sebastian Friedel, que somente com a boca  reproduz as sonoridades da música eletrônica e o homem-banda Bernard M. Snyder e seu repertório incrível ; da Argentina, Martin Lima e seu bandoneon, tocando tangos e milongas; da França, Jean-Marie, seu realejo e suas lindas músicas antigas; de São Paulo o reggae e o ska do Canoa Groove ; e da Bahia,  o quinteto de sopros Salvador Brass Quinteto e o Duo Guitarbone, o samba de roda do Barlavento, e o Arguidá, de Valença.

Mas se vai ter música nas ruas, vai ter também a mímica dos tailandeses do Mute, pela primeira vez no Brasil, o malabarismo do palhaço chileno  Alvaro Henriquez, o teatro cômico de Melquesalém, que terá como tema a TPM feminina, a palhaçaria de Sebastian Godoy, da Argentina, que realiza o concerto mais louco do mundo, a acrobacia com Roda Cyr da belga Pauline Zoe, as artes plásticas da norte-americana Tova Snyder, que cria ao vivo cenas do festival sobre placas de madeira e o Xilopraças, com obras talhadas em madeira, na rua, durante o festival, além da dança de rua do KY Dance de Ilheús, do projeto Wins de Madre de Deus e do Junta Salvador, da capital. É um encontro entre culturas brasileiras e estrangeiras, um encontro da arte de rua do mundo!

O 12o Festival Internacional de Artistas de Rua recebe apoio financeiro do Fundo de Cultura da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, Secretaria da Fazenda e apoio das prefeituras de Salvador, Ilhéus, Valença e Madre de Deus. O som dos espetáculos obedece a todas as regras exigidas pelos órgãos de controle e respeita os direitos dos moradores dos lugares próximos às apresentações. O Festival de Rua já foi realizado em dez localidades diferentes de Salvador e onze cidades do interior do estado. Em Salvador, já foram palco para o Festival o Aeroclube, Praça da Sé, Campo Grande, Farol da Barra, Parque da Cidade, Comércio, Liberdade, Ponta do Humaitá, Praça Municipal e Ribeira. No interior do estado os artistas do Festival já se apresentaram em Santo Amaro, Santo Antônio de Jesus, Juazeiro, Sobradinho, Paulo Afonso, Maragojipe, Conceição do Almeida, Nazaré das Farinhas, São Francisco do Conde e Madre de Deus. As apresentações acontecem em praças públicas, sem cobrança de ingresso e são indicadas para espectadores de todas as idades.

Confira lista dos artistas

Aly Keita Band (Mali, Chade, Brasil) – Música – Afro – Jazz Instrumental – 04 a 13/03 – todas as cidades

Aly Keita, conhecido como `Mago do Balafone´, já participou à várias edições do Festival de Rua. Este ano pela primeira vez ele se apresenta com a própria banda, de músicos africanos e o baterista baiano Ivan Huol, um dos líderes da JAM no MAM. Uma festa polirrítmica de virtuosismo, improvisação e magia, liderada pelo sorriso contagioso de Aly.

Arguidá (Brasil) – Música – Samba de Roda – 12/03 – em Valença

O grupo Arguidá, da zona rural de Valença, apresenta o samba de roda, patrimônio imaterial da UNESCO. No figurino os dançarinos se servem dos acessórios que costumam utilizar cotidianamente nas casas de farinha onde a maioria deles trabalha.

Canoa Groove (Brasil) – Música – Reggae, Ska e Dub – 04 a 06/03 e 13/03 – em Salvador e Madre de Deus

Garantindo muita alegria e integração, este grupo vai contagiar e surpreender a rua com um show bem dançante através da formação que conta com vozes, trombone, sax, baixo, guitarra e bateria. Com muita energia positiva e sob forte influência do Reggae, Ska & Dub, o Canoa Groove apresenta clássicos do gênero, mesclando algumas releituras da Musica Brasileira como elemento surpresa.

Das Friedel (Alemanha) – Música – Beatbox – 04 a 13/03 – todas as cidades

Ele é um virtuoso de Beatbox ! Usando como `instrumento´ somente a sua boca, Sebastian Friedel reproduz as sonoridades da música eletrônica, ritmos como Techno e House. Das Friedel vem diretamente de Berlim, capital da música eletrônica, trazendo ritmo e energia pura.

Duo Guitarbone (Brasil) – Música Instrumental – 04 e 06/03 – em Salvador

O Duo Guitarbone é formado por Márcio Pereira (guitarra e violão) e Bruno Nery (trombone). Com um repertório eclético que traz composições próprias, assim como releituras de compositores como Pixinguinha, Stevie Wonder, Guinga, Moacir Santos e Thelonious Monk, o Duo Guitarbone se utiliza de arranjos arrojados e da criatividade espontânea da improvisação.

Elio Garcia (Peru) – Malabarismo – 04 a 13/03 – todas as cidades

Ainda muito jovem, o peruano Elio Garcia já é um mestre no malabarismo. Se formou em Artes Circenses na Escola Profissional de Circo no Peru, na Escola Nacional de Circo FUNARTE no Rio de Janeiro e também foi aluno do Ballet Clássico Biblioteca Nacional no Peru. Há alguns anos Elio trabalha como artista e coreógrafo, mostrando sua paixão pelas artes nas apresentações assinadas por ele.

Grupo Barlavento e Jonga Lima (Brasil) – Música – Samba de Raiz – 04 e 06/03 – em Salvador

O Grupo Barlavento, tocando samba de raiz com muita energia positiva, é o único grupo que participou de todas as edições do Festival de Rua. Este ano a banda reúne forças com o carismático Jonga Lima, cantor, poli-instrumentista e compositor bem presente na área de samba na Bahia. Juntos eles vão balançar o calçadão da Barra com ritmo e alegria.

Homem Banda (Alemanha) – Música – Homem Banda – 04 a 13/03 – todas as cidades

Um homem sozinho pode tocar bateria, violão, gaita e cantar ao mesmo tempo? Bernard M. Snyder começou tocar nos palcos baianos como homem banda em 1998. Logo depois ele juntou forças com a atriz e produtora Selma Santos na criação do Festival de Rua, que agora está na sua 12a edição.

Jonga Lima e Hamilton Reis (Brasil) – Música – Samba – 08 a 13/03 – Ilhéus, Valença e Madre de Deus

Hamilton Reis e Jonga Lima, dois compositores, dois artistas que contribuem com sua música para o universo do samba da Bahia. No show os artistas contarão com a participação do músico convidado Henrique Santos, tocando percussão.

Junta Salvador (Brasil) – Música e Dança – 04 e 06/03 – Salvador

O grupo, que tem 12 ritmistas em sua base e diversos outros artistas em seu corpo, apresenta um show baseado no samba-reggae, misturando música pop, vários ritmos tradicionais e folclóricos do Brasil como o maracatu, o ijexá (afoxé), o frevo, a ciranda, a congada e a moda de viola. Mistura de dança, artes visuais, circenses e cênicas em verdadeiros espetáculos.

KY Dance (Brasil) – Dança de Rua – 08 e 09/03 – em Ilhéus

O Grupo KyDance é bem conhecido na cidade de Ilhéus e no Sul da Bahia. Essa turma alegre e energética traz para as ruas as divergências do hip-hop na dança, tais como pop, funk e o pagode.

Martin Lima (Argentina) – Música – Bandoneon – 04 a 13/03 – todas as cidades

Uma intervenção musical no cotidiano urbano. Um repertório instrumental de tangos, milongas, valsas e chorinhos imortais em execução solo de Bandoneon, interpretados por Martin Lima. Mais de dez anos de experiência nas ruas e teatros da América do Sul fomentando e incentivando o acesso à cultura, celebrando a intervenção artística livre e espontânea.

Melquesalém (Brasil) – Teatro Cômico – 04,05,06, 11, 12 e 13/03 – Salvador, Valença e Madre de Deus

Dois homens discutem de forma bem humorada um período que é bem especial e particular da mulher: a TPM ! Além de prestar uma homenagem merecida à elas – mães, avós, esposas, filhas, amigas, companheiras -, enfim, a este ser humano que a cada mês solicita mais um pouco de paciência, carinho e atenção, o espetáculo #tpmparahomens ensina aos homens a lidar melhor com as mulheres nesse momento.

Mute (Tailândia) – Mímica – 04 a 13/03 – todas as cidades

Pela primeira vez o Festival de Rua apresenta um grupo tailandês. A dupla Mute conta histórias românticas sem palavras. Nos últimos anos o Mute tem participado de muitos festivais no mundo inteiro, sempre com enorme sucesso. As emoções provocadas por este casal deixam o público com lágrimas de rir num olho, e de chorar no outro.

Pauline Zoe (Bélgica) – Acrobacia, Roda Cyr – 04 a 13/03 – todas as cidades

Devido a sua paixão pelo circo e suas numerosas viagens a festivais internacionais de arte de rua, Pauline se especializou na performance com a Roda Cyr. Criada na Bélgica e viajando o mundo inteiro, Pauline Zoe estudou Artes Cênicas na UFMG, em Belo Horizonte.

Pétalas Ao Vento (Brasil) – Acrobacia – 06/03 – em Salvador – O Pétalas ao Vento é um grupo de jovens apaixonados pelo circo, e mais específicamente pela acrobacia, que apresenta o número ‘O Domador de Leões’, com a dupla Acro Duo, de Victor Menezes e Lara Böker. A performance conta com concepção artística de Marthinha Böker, que também assina a coreografia, em conjunto com Elio Denis Garcia Luis.

Projeto Wins (Brasil) – Dança de Rua – 13/03 – em Madre de Deus

O projeto `Wins´ dos bailarinos Lucas Eduardo e Hyuri Menezes foi criado pela Cia de Dança Hit’mos. A proposta tem o objetivo de despertar e estimular a dança em cada pessoa que estiver passando pela rua, bairro, praça, incluindo um tom de comédia a todo instante durante a apresentação.

Realejo de Paris (França) – Música – Canções Francesas – 08 e 09/03 – em Ilhéus

Apresentando as canções antigas que ainda são cantadas nas ruas de Paris, Jean-Marie Olive se dedica ao realejo clássico há muitos anos. Este cantor carismático continua a viajar o mundo inteiro mostrando cultura francesa, más divide o seu tempo principalmente entre Avignon, França e Porto Seguro, Brasil.

Salvador Brass Quinteto (Brasil) – Música –  Quinteto de Sopros – 04 e 06/03 – em Salvador

Este quinteto é formado por alunos da Escola de Música da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e tem como principal objetivo a pesquisa e difusão de um repertório variado que vai do erudito ao popular. O grupo possui em seu programa obras e arranjos de compositores nacionais e internacionais, bem como músicas de autoria do próprio grupo.

Sebastian Godoy (Argentina) – Palhaço – 04 a 13/03 – todas as cidades

Um diretor de orquestra e seus instrumentos não convencionais dão um concerto para morrer de rir. Sebastian Godoy porta a plateia a lembrar a essência do ser humano, deixando sair a criança que está dentro de todos nós. Junto com o público este ator-palhaço celebra a criatividade com qual nascemos. Brincar somente para o prazer de brincar…

Tova Snyder (EUA) – Artes Plásticas – 04 a 13/03 – todas as cidades

Com a ajuda de grandes, e sobretudo dos pequenos, Tova cria ao vivo cenas do festival sobre placas de madeira colocadas no chão. As obras incluem imagens dos artistas participantes do evento e das cidades onde o festival acontece. Toda criança é artista, e pode participar!

Willy Sahel e Djim Radé (Chade) – Música Africana – 04 a 13/03 – todas as cidades

Willy Sahel (voz, baixo e percussão) e Djim Radé (gitarra, violão, percussão e voz) apresentam músicas baseadas em jazz, blues, funk, soul, gospel e R & B misturadas com ritmos da Africa Central. O repertório inclui músicas de autoria própria.

Xilopraças (Brasil) – Artes Plásticas – em Ilhéus

Em `Xilopraças´ – Memória Urbana Talhada, ao vivo, as obras são talhadas em madeira, na rua, durante o festival e depois impressas sobre folhas de papel. A performance artística é um comentário crítico sobre a memória arquitetônica das praças brasileiras, ameçadas pela expansão urbana. Mestre Janete Lainha e Luiz Natividade continuam a tradição da xilogravura evidenciando o antigo em contraste com o novo.

 

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br