Salvador: vereadora questiona repasse de verbas para a Saúde

Os valores aplicados para gastos com a saúde geral, assistência à criança e ao adolescente e atenção básica ficaram abaixo da previsão orçamentária, avalia vereadora Maria Aladilce de Souza.

Os valores aplicados para gastos com a saúde geral, assistência à criança e ao adolescente e atenção básica ficaram abaixo da previsão orçamentária, avalia vereadora Maria Aladilce de Souza.

Os gastos do município de Salvador com a saúde foram motivo de insatisfação para a vereadora Aladilce Souza (PCdoB) durante a audiência pública apresentada nesta segunda-feira (29) pela Secretaria da Fazenda para prestar contas do orçamento de Salvador em 2015. Os valores aplicados para gastos com a saúde geral, assistência à criança e ao adolescente e atenção básica ficaram abaixo da previsão orçamentária. A destinação de recursos para vigilância epidemiológica, que reforça o controle de doenças como zika, também não atingiu o planejado: apenas R$ 806.835,63 dos mais de R$ 3 milhões previstos foram aplicados.

Membro da Comissão de Finanças, Orçamento e Fiscalização da CMS, Aladilce acredita que o problema de Salvador é a base econômica. “Salvador sempre foi uma cidade pobre, com baixa arrecadação, e a reforma tributária promovida pelo ex-secretário Mauro Ricardo agravou os problemas da cidade, gerando inadimplência e impugnações, por conta de tributos majorados fora da realidade. Isso ainda não foi ajustado e a Prefeitura de Salvador não tem mostrado capacidade para reverter essa tendência”, declarou a comunista.Recentemente, Salvador apareceu como a capital com maior queda na arrecadação tributária do País em 2015, segundo a base de dados da Caixa Econômica Federal e o Tesouro Nacional. Comparado a 2014, houve uma queda de 17,7%.

Para Aladilce, outro problema  é o fato de não haver, por parte do município, uma preocupação com o planejamento das atividades. “É inconcebível que uma audiência tão importante como a de Gestão Fiscal seja marcada no mesmo dia que um evento para discutir o PDDU. A população tem o direito de acompanhar os dois processos, mas isso fica inviabilizado quando ambas acontecem no mesmo horário”, disse.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br