No momento em que ex-presidente Lula sofre ataque das forças conservadoras, governador Rui Costa pede serenidade e atenção contra golpismo

Governador Rui Costa presta solidariedade ao líder político Luiz Inácio Lula da Silva.

Governador Rui Costa presta solidariedade ao líder político Luiz Inácio Lula da Silva.

Em nota divulgada hoje (04/03/2016), o governador da Bahia, Rui Costa (PT), ao tomar conhecimento de ações movidas contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pelo grupo que coordena o caso Lava Jato, declarou que existe uma tentativa golpismo das forças conservadoras, derrotadas nas eleições de 2014. O governador questiona, também, a legitimidade e a legalidade das ações contra o líder político.

Na opinião de Rui, este tipo de espetáculo cinematográfico e pirotécnico patrocinado por quem deveria manter e estimular a serenidade em nada contribui para o engrandecimento brasileiro. Para ele, é preciso equilíbrio e imparcialidade para que a apurações tenham a credibilidade necessária.

O governador disse que defende a total transparência nas apurações dos fatos, respeita as instituições constituídas, mas se disse contrário aos excessos e ao sensacionalismo criado com ampla pirotecnia.  “Muitas vezes, temos que redobrar as intenções para perceber se determinados fatos tem intenções legítimas e legais. Afinal, o que está por trás de tudo isso? Quais as verdadeiras intenções? Este tipo de ação é realmente legal? São estas questões que precisam ser respondidas”, salientou.

Rui lembrou que a preocupação deveria ser com a enorme necessidade da geração de empregos e a retomada de crescimento do País. “É momento de muito trabalho e serenidade”, disse o governador, conclamando a defesa das instituições democráticas e das prerrogativas legais.

Violência dos conservadores

Vários setores da sociedade brasileira classificaram como uma ação violenta perpetrada por conservadores, que temem o retorno de Lula à presidência da República em 2018. A condução coercitiva , sem os requisitos legais, de um cidadão, ex-presidente da República foi uma violência contra a democracia e os direitos do cidadão, avaliaram juristas.

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: diretor@jornalgrandebahia.com.br.