Globo quer que Lula explique pedalinho; Instituto pede que Globo dê explicações sobre mansão da família Marinho construída em área de preservação permanente

Reportagem do Blog do Miro apresenta documento com o nome de João Roberto Marinho.

Reportagem do Blog do Miro apresenta documento com o nome de João Roberto Marinho.

O Grupo Globo de Comunicação, através do jornal O Globo, encaminhou e-mail na terça-feira (01/03/2016) ao Instituto Lula, questionando se a entidade ou o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva não iram explicar sobre “dois pedalinhos” que se encontram em um lago, de um sítio em Atibaia. Nos pedalinhos, os nomes dos netos de Lula.

Em resposta, o Instituto Lula provoca a família Marinho, proprietária do Grupo Globo de Comunicação:

– Já explicamos várias vezes que o ex-presidente e dona Marisa frequentam o sítio, que é de propriedade de amigos da família. Os proprietários do sítio constam na escritura e não são empresas offshore no Panamá.

– Aguardamos que a brava reportagem de O Globo que persegue pedalinhos de crianças investigue quem seria o real proprietário da mansão construída em área de proteção ambiental na praia Santa Rita, em Paraty.

Polêmica sobre casa em área de preservação

Para compreender melhor o que o Instituto Lula insinua ao associar imóvel, Offshore e O Globo, observa-se que, recentemente, vários sites, a exemplo do Blog do Miro, editado pelo do jornalista Altamiro Borges; e Tijolaço, editado por Fernando Brito publicaram reportagem questionando a propriedade de uma mansão em área de proteção ambiental, localizada na Praia de Santa Rita, em Paraty-Mirim, Angra dos Reis, Rio de Janeiro.

Objetivando dar substância material a reportagem, Altamiro Borges publicou uma certidão de inteiro teor atribuindo a responsabilidade pela propriedade a João Roberto Marinho. Um dos sócios do Grupo Globo de Comunicação, proprietária do Jornal O Globo.

Em outra publicação, o site ‘O Tijolaço’ destaca que a propriedade da família Marinho sobre imóvel em área de proteção permanente foi atribuída pela Bloomberg, em 7 de março de 2012, através da reportagem ‘Brazil’s rich show no shame building homes in nature preserves’, tradução ‘Brasileiro ricos demonstram não ter vergonha ou dignidade, ao construir habitações em área de preservação natural’.

Acrescentado mais um elemento a desagradável situação em que se encontram os proprietários do Grupo Globo de Comunicação, notadamente, João Roberto Marinho, segundo publicação dos sites, o imóvel encontra-se registrado em nome de uma offshore no Panamá.

Justiça poética

Ao analisar a situação fica evidente como a grande mídia tem utilizado da manipulação discursiva com a finalidade de destruir a liderança política do ex-presidente Lula, na vã tentativa de eliminar a imagem positiva que o líder popular tem, junto a significativa parcela da população, e com isso, retomar o poder da República através das eleições de 2018, apoiando um político de perfil conservador, alinhado aos interesses da grande mídia e do capital rentista.

Chancelando a responsabilidade e a liderança pelo ataques midiáticos, literalmente, no evento dos 36 anos do PT, ocorrido no sábado (27/02), no Rio de Janeiro, o ex-presidente atribuiu a Globo a liderança de um processo de desconstrução da imagem dele e do Partido dos Trabalhadores.

Manipulação tosca

No domingo (28), evidenciando uma tentativa de manipular a opinião pública, entre os diversos comentários sobre as apresentações do Domingão do Faustão, o âncora do programa, Fausto Silva, falou sobre a política e o processo de investigação e julgamento em curso no país. Comentários superficiais cuja finalidade era criar um consentimento em torno da população de que o governo do PT é corrupto. Deixando de observar que é justamente no governo do PT que inúmeras operações de combate à corrupção foram efetuadas.

O apresentador Fausto Silva, reconhecido pela linguagem vulgar que utiliza, esqueceu de citar, também, que foram nos governos do PT que várias Leis foram criadas com a finalidade de apurar responsabilidades, possibilitando a condenação dos culpados. Algo novo na recente refundada República Brasileira.

Observa-se, por fim, que ao apelar por pedalinhos com nomes de crianças a grande mídia ou PIG (Partido da Imprensa Golpista) e grupos de comunicação congêneres evidenciam a elevada incompetência em produzir reportagem investigativa baseada em material de relevância informativa.

Não obstante, é importante lembrar que em um passado recente, esses grupos de comunicação serviram de apanágios e tributários da ditadura Civil/Militar instalada no Brasil, entre os anos de 1964 a 1985. É histórico o editorial do Jornal O Globo em que se desculpa por não ter atuado a favor da democracia, durante os anos de chumbo.

Confira a ‘Troca de mensagens com O Globo sobre pedalinhos’

01/03/2016 12:57

A reportagem do jornal O Globo procurou a assessoria de imprensa do Instituto Lula a respeito de “reportagem” da Veja sobre pedalinhos no sítio que o ex-presidente frequenta em Atibaia. Conforme já foi informado à imprensa pelo instituto e pelo próprio ex-presidente, Lula e seus parentes frequentam de fato o sítio, que pertence a amigos da família.

Reproduzimos abaixo a troca de e-mails com a reportagem do jornal.

Questionamento da Globo

De: sp.oglobo.com.br

Data: 1 de março de 2016 11:46

Assunto: pedalinhos – sítio

Para: institutolula.org

Bom dia

Conforme nos falamos por telefone, gostaria de saber se o ex-presidente Lula se posicionará sobre a informação divulgada pelo site da Veja, de que há dois pedalinhos no sítio de Atibaia, com os nomes dos netos Pedro e Arthur pintados nos mesmos.

Vocês vão soltar alguma nota?

Resposta do Instituto Lula

De: institutolula.org

Data: 1 de março de 2016 12:18

Assunto: Re: pedalinhos – sítio

Para: @sp.oglobo.com.br

Não, não vamos soltar nota sobre pedalinhos com os nomes dos netos do ex-presidente. Já explicamos várias vezes que o ex-presidente e dona Marisa frequentam o sítio, que é de propriedade de amigos da família. Os proprietários do sítio constam na escritura e não são empresas offshore no Panamá.

Aguardamos que a brava reportagem de O Globo que persegue pedalinhos de crianças investigue quem seria o real proprietário da mansão construída em área de proteção ambiental na praia Santa Rita, em Paraty. Haverá alguma nota ou reportagem do Globo sobre essa polêmica propriedade?

Relembrando que consideramos a nossa troca de mensagens com repórteres material de interesse público e histórico, que podemos divulgar de acordo com nossos critérios.

Atenciosamente,

Instituto Lula

Baixe

Altamiro Borges – Globo, cuidado com os blogs sujos

A resposta do Tijolaço à Globo

Bloomberg Business – Brazil’s Rich Show No Shame Building Homes in Nature Preserves

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: diretor@jornalgrandebahia.com.br.