Feira de Santana: vereador defende que comissão do Poder Legislativo intermedie reunião com Governo Municipal e Coopetrafs

Vereador Pablo Roberto Gonçalves da Silva quer que Legislativo intermedie reunião com Governo Municipal e Coopetrafs.

Vereador Pablo Roberto Gonçalves da Silva quer que Legislativo intermedie reunião com Governo Municipal e Coopetrafs.

Os trabalhadores do transporte alternativo estão impossibilitados de circular no município sob alegação de que encerrou o contrato do Executivo com a Cooperativa do Transporte Alternativo de Feira de Santana (Coopetrafs),  situação que  voltou a repercutir na Câmara Municipal, na manhã desta terça-feira (22/03/2016).

Preocupado com a questão, o vereador Pablo Roberto (PMDB) sugeriu ao presidente da Casa da Cidadania, Reinaldo Miranda – Ronny (PSDB), a criação de uma comissão composta por três vereadores, além do procurador da Câmara, Magno Felzemburgh, para intermediar uma reunião com as partes envolvidas, visando encontrar uma alterativa que seja viável para o transporte público da cidade, sem prejuízos para os trabalhadores do transporte alternativo.

“Nós não podemos fazer aqui um debate político para ter aplausos ou vaias daqueles que vêm aqui na Casa, nós devemos ter um comportamento aqui de se colocar à disposição das pessoas, para tentar resolver os problemas. E aí, senhor presidente Reinaldo Miranda, eu quero chamar a atenção de Vossa Excelência neste momento, porque esta Casa tem tido participação importante nesses movimentos que vêm acontecendo em Feira de Santana”, disse Pablo, citando como exemplo a greve dos professores, que foi encerrada após o Legislativo feirense intermediar um entendimento entre a APLB e o Governo Municipal.

Sobre a proibição do transporte alternativo de circular, o peemedebista declarou: “eu conversei rapidamente ali com Vicente, para entender um pouco acerca desse processo: se foi o fim de um contrato que existia entre a Prefeitura e os trabalhadores, se foi uma decisão judicial que suspende o serviço, e ele me colocou que existe uma recomendação do Ministério Público à Prefeitura de Feira de Santana para que não permita que o serviço funcione”, relatou.

Pablo fez questão de salientar que tem muito respeito ao Ministério Público, mas, segundo ele, “recomendação do MP não é uma lei, não é um entendimento fechado”.  O peemedebista acredita que o prefeito José Ronaldo de Carvalho acatou a sugestão do referido órgão porque “tem sido sempre muito cuidadoso e entende a recomendação como uma determinação”.

No entanto, para o vereador, essa recomendação do Ministério Público está sujeita também a outra interpretação por parte da Procuradoria do Município e dos advogados da Coopetrafs.

O edil alertou que também existe remédio jurídico que a Coopetrafs pode adotar, “que é entrando com uma liminar pedindo que o serviço seja restabelecido imediatamente”, mas, segundo Pablo, o presidente da Cooperativa do Transporte Alternativo de Feira de Santana assegurou que “pretende esgotar todas as vias administrativas de cordialidade que tem com o Município”. O peemedebista ainda afirmou que o transporte alternativo é essencial para a melhoria do transporte público no município.

Em aparte, os vereadores Marcos Lima (PRP) e Isaías de Diogo (PSC)  parabenizaram  o edil Pablo Roberto pela “coerência” do discurso, se colocaram também  à disposição dos trabalhadores do transporte alternativo  e garantiram que o Executivo está aberto ao diálogo para resolver o problema.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br