Falta merenda em escolas da rede municipal de Feira de Santana, denuncia movimento sindical

Escola Municipal Otávio Mansur.

Escola Municipal Otávio Mansur.

Mesmo com adiamento do início do ano letivo de 2016 devido à greve dos Trabalhadores em Educação que durou 19 dias, ainda não há merenda nas escolas da rede municipal de ensino de Feira de Santana, denuncia movimento sindical. Segundo a Secretaria Municipal de Educação (Seduc), o problema envolve uma licitação realizada em dezembro de 2015.

O movimento sindical informa que, além disso, várias escolas da rede municipal possuem problemas peculiares; a Otávio Mansur, por exemplo, enfrenta dificuldades com os quadros de giz e com o volume de mato em toda a área da escola. Já a José Raimundo Pereira de Azevedo tem grande incidência de morcegos, o que inviabiliza o uso de salas de aula devido às fezes dos mamíferos. A escola conta ainda com o problema da cerca; sem muro, a cerca ao redor da unidade escolar foi furada permitindo o acesso de membros da comunidade externa para contato com os estudantes. Nesta sexta, 11, houve uma manifestação de pais em decorrência das dificuldades evidenciadas, além da falta da merenda escolar.

O movimento relata, também, que a Escola Municipal Nilton Belas Vieira enfrenta problemas com forro do telhado de sala de aula e a Eurides Franco não tem livros para os estudantes. A Escola Olga Noemia possui livros, mas são insuficientes para a real demanda da comunidade escolar e na Escola Municipal Professora Maria Helena Queiroz os estudantes são dispensados mais cedo nos turnos matutino e vespertino devido à falta de Professores substitutos para o cumprimento da Reserva de 1/3 da Carga Horária que ficou acordado durante a greve. A Escola Municipal Maria da Glória funciona precariamente em uma casa alugada com cômodos muito pequenos e sem ventilação, afetando a saúde de todos – principalmente das crianças –, além de não ter banheiro apropriado.

O movimento diz que além dos problemas supracitados, o número de estagiários na rede é muito grande. A Escola José Raimundo Pereira de Azevedo, por exemplo, possui 22 estagiários e apenas 7 professores efetivos.

Ciente dos problemas, a APLB Sindicato – Feira enviou um e-mail à Secretaria Municipal de Educação (Seduc) comunicando a realidade das escolas no município para que a mesma tome imediatamente as devidas providências.

Dificuldades também em escolas da rede estadual

O movimento sindical identificou problemas na rede estadual de ensino. No Colégio Estadual de Jaguara falta Professores. Enquanto o Colégio Estadual Maria José Silveira necessita de mais Funcionários.

Após tomar ciência das demandas, a APLB Sindicato – Feira solicitou do Diretor do Núcleo Regional de Educação (NRE 19), Professor Vamberto, as devidas providências.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br