Eleições 2016 – Feira de Santana: vereador Reinaldo Miranda destaca ato de sua filiação ao PHS e voltar a se pronunciar sobre chapão

Reinaldo Miranda Vieira Filho (Ronny).

Reinaldo Miranda Vieira Filho (Ronny).

Em discurso proferido na sessão legislativa desta terça-feira (15/03/2016), o presidente da Casa da Cidadania, vereador Reinaldo Miranda – Ronny (PHS), após externar  alegria pelo ato de sua filiação ao Partido Humanista da Solidariedade, ocorrido na noite de ontem, no salão da Gelateria Italiana, em Feira de Santana, falou sobre a situação política no município.

Ronny exercerá a função de presidente municipal e vice-presidente estadual do PHS. Ele disse que ficou muito honrado com a presença de todos que prestigiaram o ato de sua filiação, entre eles, os colegas vereadores; os presidentes do diretório nacional da Sigla, Eduardo Machado, e estadual, Júnior Muniz; o deputado estadual licenciado pelo DEM e secretário municipal de Salvador, Bruno Reis, que no ato estava representando o prefeito da capital baiana, ACM Neto; e o radialista Oswaldo Cruz.

Em aparte, os edis Edvaldo Lima (PP), Beldes Ramos (PP), Roque Pereira (DEM), Alberto Nery (PT), Marcos Lima (PRP), Eremita Mota (PDT) e Tonhe Branco (PSC) desejaram boa sorte ao vereador Ronny nesta nova empreitada e destacaram a sua competência, determinação e prestígio.

Ainda com relação ao Partido Humanista da Solidariedade, o presidente da Câmara, após tecer elogios ao vereador Robeci da Vassoura (PHS), o convidou para assumir a vice-presidência do diretório municipal da sigla.

Em aparte,  Robeci declarou: “sinto-me muito honrado em ter Vossa Excelência aqui na Casa como mais um aliado do PHS, me sinto mais forte, mais confortável e tenho certeza que Vossa Excelência, como presidente do PHS aqui em Feira de Santana, este partido vai crescer mais no município como em toda a Bahia, como em todo o Brasil. Estou muito feliz ao estar ao lado de Vossa Excelência como vice-presidente do PHS, estamos juntos aí para somar”, disse.

Prazo de filiação

De acordo com Ronny, no próximo dia 18, às 13 horas, encerra o prazo de filiação partidária para quem exerce cargo eletivo. “Muitos comentam na cidade que vai até o dia 2 de abril, mas esta data é para quem não tem mandato”, informou.

Chapão

Sem revelar nomes, o vereador disse também que há rumores de que o chapão não irá acontecer, sob a justificativa de que não haverá a adesão de todos os vereadores governistas. “Esses comentários são equivocados, são de pessoas que talvez não saibam que político tem que ter um compromisso, e o compromisso foi firmado com 18 vereadores e dois suplentes (Ewerton Carneiro – Tom e Luiz Augusto de Jesus – Lulinha). Recentemente, nós estivemos em um hotel da cidade, juntamente com o prefeito José Ronaldo, onde o mesmo assegurou o chapão”.

Segundo Ronny, o prefeito José Ronaldo defende a formação de um chapão porque reconhece que seria injusto  vereador disputar a eleição em um determinado partido com pessoas que não tenha estrutura de mandato político. “Seria injusto o vereador David Neto disputar uma eleição com o suposto pré-candidato Bomba, por exemplo”, disse.

Partindo desse pressuposto, o edil acredita que o chefe do Executivo Municipal não irá formar duas bancadas governistas no Legislativo feirense.

“O prefeito não vai beneficiar vereadores que não queiram ficar no chapão e colocar a gente para o enfrentamento. Não tenho dúvida de que o prefeito não fará isto. E, se fizer, não irei discordar, porém só irei pedir o mesmo direito de proteção de qualquer outro vereador. Então, esses rumores que existem na cidade que está nascendo um novo grupo, eu não acredito e tenho tranquilidade em dizer: se isto acontecer, eu irei também para alguma arrumação feita pelo prefeito José Ronaldo”, alertou.

Ronny acrescentou: “não posso querer que entre na minha cabeça e aceite que eu possa ser beneficiado e o vereador David Neto não; eu não posso entender nem aceitar que a vereadora Eremita Mota possa ter uma estrutura tranquila de reeleição e a vereadora Gerusa Sampaio não. Não iremos aceitar porque nós somos grupo; nós temos um lado e o nosso lado é o lado do prefeito José Ronaldo de Carvalho. Então, não podemos aceitar que o vereador Roque seja beneficiado, em termos de escolha partidária, e o vereador Robeci não seja”, disse o edil, defendendo que todos os aliados devem ser tratados de maneira igualitária pelo prefeito na disputa eleitoral.

Opinião dos vereadores

Em aparte, vários vereadores comentaram o assunto. “Se tiver privilégio para alguém, eu também quero ser privilegiado”, disse o líder governista José Carneiro (PSL).

Para David Neto, o vereador que pensa em sair do chapão é político de pouca fé.  O edil citou ele próprio, como exemplo de otimismo e sucesso nas urnas. “Sairmos de 2.281 e fomos para 4.778 votos”, disse David, acreditando que fará parte da próxima legislatura com o dobro de votos. “E quanto aos outros candidatos, eu quero dizer o seguinte: ‘gente, ore, chame por Deus’. Não tenha medo não, vereador Marcos, pelo que o prefeito José Ronaldo vem fazendo por Vossa Excelência, Vossa Excelência pode triplicar os seus votos”, pontuou.

O vereador Roque Pereira também defendeu o chapão, ressaltando que é o melhor caminho para a disputa eleitoral. “Tem um velho ditado: ‘tudo que divide termina diminuído’. A gente com o chapão, a chance de eleger vereador de mandato é bem maior. E quando se começa a dividir, começa diminuir”, disse o democrata, acreditando que o prefeito José Ronaldo não dará privilégios a uns em detrimento de outros.

O edil Marcos Lima disse que só tomará uma posição acerca do chapão, após ouvir a direção estadual do PRP, familiares e lideranças políticas. “Nós não temos a estrutura política que Vossa Excelência (Ronny) tem e outros vereadores tem, que é de direito, pelo trabalho e luta de Vossa Excelência, pelo tempo na vida política como vereador e liderança. A gente não tem essa estrutura ainda, mas pretendemos chega lá e, se Deus permitir, vamos chegar. Eu quero dizer que o que for melhor para o mandato e para o grupo do vereador Marcos Lima nós vamos fazer. Também dizer que o prefeito, em momento nenhum, nunca me chamou para dizer que eu vou ficar em partido A, B ou C; todas as reuniões foram abertas”, ressaltou.

Em seguida, o presidente da Câmara disse que, em nenhum momento, citou o nome do prefeito como articulador de partidos para acomodar vereadores que não aceitam o chapão. “Eu disse que há rumores que os candidatos irão sair para terem uma tranquilidade de arrumação partidária. Eu só quero dizer que se tiver essa arrumação, eu também vou querer, como também o vereador José Carneiro quer, a vereadora Eremita quer, porque eu tenho certeza que o prefeito não vai querer ver nesta Casa vereadores insatisfeitos aqui fazendo parte do Governo”.

Novamente com o uso da palavra, Marcos Lima afirmou que no início do seu mandato vários vereadores falaram que nunca viram um vereador  retornar à Câmara com a quantidade de votos que ele obteve na última eleição. “E eu não vou para covas dos leões não, eu vou para onde eu achar que seja melhor e que eu possa voltar para fazer a mudança nessa história. Então, lutarei sim, se for necessário, se eu ver que meu grupo me apoia, se eu ver que minha família me apoia, se eu ver que meu partido me apoia para que eu vá para o chapão, sem dificuldade, ire. Mas,  se eu achar um caminho que possa me levar a disputar de igualdade com outros colegas, com certeza, nós lutaremos”, disse.

Também participando do debate, a vereador Cíntia Machado (PSC) afirmou que o prefeito José Ronaldo tem palavras e que o chapão foi um acordo firmado com todos os vereadores governistas. “Então, palavra é uma coisa que a gente tem que permanecer, independentemente do preço que vai custar”.

O vereador José Carneiro também deu seu parecer sobre os rumores de que não haverá o chapão. “Tudo isso que estão dizendo eu acredito que caia por terra, em decorrência de a gente confiar plenamente na postura e na decência do prefeito José Ronaldo de Carvalho, que já assegurou, em reunião, que terá o chapão”.

O edil Tonhe Branco disse que gostaria que o presidente da Câmara e o prefeito José Ronaldo olhasse para ele da mesma forma que olha para os vereadores Isaías de Diogo (Sem Partido), Eremita Mota, Cíntia Machado e Marcos Lima. Em resposta, Ronny reiterou que ele nem José Ronaldo querem dividir o grupo.

Na sequência, a vereadora Eremita Mota informou que está exercendo o terceiro mandato e que respeita e sempre participou da bancada do prefeito José Ronaldo, mas nunca foi privilegiada em relação a lideranças indicadas pelo gestor municipal, por exemplo.

Sobre o chapão, ela falou para os vereadores de primeiro mandato  que  não era para terem  medo de participar do grupo. “Se tem um trabalho e garante o seu trabalho, se diz assim: ‘eu já estou pronto para ser vereador’, eu acho que não deve ter medo de nada, até porque eu sou um exemplo nesta Casa, desde o meu primeiro mandato eu não fui eleita em um partido separado, eu fui eleita pelo chapão: o primeiro chapão  e o segundo de José Ronaldo e  o terceiro de Tarcízio”, salientou.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br