Deputado Jorge Solla diz que ação de Sérgio Moro pode ser classificada como “sequestro autorizado por um juiz que coloca de joelho nossa democracia e a Constituição”

Deputado Jorge Solla presta solidariedade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Deputado Jorge Solla presta solidariedade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em nota divulgada hoje (04/03/2016), o deputado federal Jorge Solla (PT/BA) repudiou a condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, efetuada pela Polícia Federal (PF), a pedido dos procuradores da República que acompanham o caso Lava Jato, por ordem do Juiz federal Sérgio Moro, ocorrida na manhã de hoje (04), em São Paulo.

O deputado Jorge Solla avaliou a situação da seguinte forma: “levá-lo sob custódia para depor é sequestro autorizado por um juiz que coloca de joelho nossa democracia e Constituição.”.

Nota de repúdio à operação Lava Jato

Condução coercitiva é quando alguém intimado a depor à Polícia Federal não comparece. O ex-presidente Lula foi voluntariamente à sede da Polícia Federal prestar esclarecimentos sempre que solicitado. Lula jamais negou-se a colaborar com a Justiça em qualquer investigação, que tenha ele como testemunha ou alvo.

Levá-lo sob custódia para depor é sequestro autorizado por um juiz que coloca de joelho nossa democracia e Constituição, é explicitamente uma ação política, realizada ilegalmente para acirrar o ambiente de conflagração nacional entorno de um pedido de impeachment que também não têm sustentação jurídica.

O palco do golpe está montado. Assim como em 1964, a imprensa dá esteio e apoio às operações ilegais em curso. Assim como em 1964, a tomada de poder se travestiu de legalidade através de uma “intervenção militar constitucional” para combater os comunistas e a corrupção. Mudam os atores, em vez de militares há delegados, procuradores, um juiz. As elites tentam repetir a história. Ainda há tempo de reagir.

Acredito na inocência do presidente Lula, mas manifestar-se contra o que fez a Operação Lava-Jato nesta sexta-feira (4) é, para além de defender a maior liderança que este país já teve, acima de tudo lutar preservar o estado democrático de direito. É garantir que não voltemos ao passado em que se fabricava provas para levar à carceragem inimigos políticos. Vamos às ruas defender a democracia!

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: diretor@jornalgrandebahia.com.br.