Chineses vão construir e operar Porto Sul e a Ferrovia de Integração Oeste Leste, anuncia governador Rui Costa

Governador Rui Costa assina acordo e grupo chinês vai investir na construção e operação do Porto Sul e Fiol.

Governador Rui Costa assina acordo e grupo chinês vai investir na construção e operação do Porto Sul e Fiol.

O Fundo Chinês para Investimento na América Latina (CLAI-FUND) e a China Railway Engineering Group n.10 (CREC), uma das maiores construtoras chinesas, vão investir, construir e operar o Porto Sul e a Ferrovia de Integração Oeste Leste, em associação ao Governo do Estado e a Bahia Mineração (Bamin). Os acordos, que dão início a um período de negociação que vai determinar os detalhes da operação, foram assinados em Pequim, pelo Governador Rui Costa, o secretário da Casa Civil, Bruno Dauster e os representantes das empresas asiáticas.

“Os Chineses possuem a tecnologia mais avançada e experiência de sobra para fazer essas obras avançarem na velocidade que a Bahia precisa. Nossos projetos entusiasmaram os dirigentes da Crec e Clai Fund e isso permitiu estabelecermos aqui um acordo histórico, que vai viabilizar os investimentos e destravar de uma vez por todas essas obras importantes para a Bahia.”, afirmou Rui.

O CLAI Fund é uma organização que se concentra em investimentos industriais de empresas em cooperação entre a China e a América Latina. Ele atuará como principal investidor e captador de novos parceiros para o projeto, principalmente grandes siderúrgicas chinesas. A participação no complexo logístico baiano será a maior operação do Fundo na América Latina.

A CREC n.10 é uma das 3 maiores construtoras de ferrovias do mundo, responsável por exemplo, pela construção da Transiberiana, a linha férrea que liga os extremos da Rússia e tem mais de 9 mil quilômetros de extensão. De acordo com o gerente geral da área Internacional da empresa, Shen Zhou, os projetos serão tratados como prioridade. “A Bahia criou as condições para que nós tomássemos essa decisão e agora vamos buscar conjuntamente a solução para que nossa participação efetiva aconteça o mais rápido possível”.

Porto Sul

O Complexo Porto Sul será construído na Ponta da Tulha, em Ilhéus e já tem as licenças prévia e de implantação, além da autorização para supressão de vegetação, emitidas pelo Ibama. O governo do Estado espera que a associação com os chineses devolva ao empreendimento a capacidade de gerar emprego, renda e crescimento econômico em toda aquela região. “Uma boa parceria tem que ser interessante para todos os envolvidos, não me resta dúvida que esse acordo vai fortalecer ainda mais a relação do Brasil com a China e garantir mais desenvolvimento para nosso estado”, comemora o Governador Rui Costa.

A estimativa é de um investimento de R$2,6 bilhões, sendo R$2,2 bi para as obras e R$ 400 milhões em equipamentos. Além do Porto Sul, o acordo inclui quatro trechos da Ferrovia de Integração Oeste Leste, entre Ilhéus e Caetité, que estão em fase final de construção e serão concluídos. Para viabilizar o investimento Chinês na ferrovia, o Governo Federal já iniciou os estudos para que seja feita a venda antecipada da capacidade operacional da ferrovia, com os recursos obtidos sendo usados na conclusão da obra e a empresa garantindo o direito a transportar suas cargas por determinado período de tempo.

“Apesar do baixo preço das commodities no mercado internacional, conseguimos atrair grandes investidores para nossos projetos e para a exploração do minério de ferro naquela região. Além da mina da Bamin, em Caetité, temos acordos encaminhados com as mineradoras Santa Fé, em Brumado e a Hombridge, em Minas Gerais”, explica Eracy Lafuente, coordenador de acompanhamento de Políticas de Infraestrutura da Casa Civil do Estado.

Segundo ele, quando estiver em plena operação, o complexo poderá movimentar 55 milhões de toneladas de minério de ferro por ano, além outras cargas, como grãos e fertilizantes e se as negociações avançarem como se espera, até o fim do ano as obras seriam iniciadas.

Futuramente, os chineses pretendem viabilizar a ferrovia Bioceânica, construída a partir da Fiol e formando uma linha de trem entre os Oceanos Atlântico e Pacífico. Ela sairia de Ilhéus, passaria pelos estados do Mato Grosso, Rondônia e Acre, até chegar ao Peru, onde encontraria novamente o mar.

Outras publicações

Deputado Carlos Gaban diz que governador Jaques Wagner teme revolta por parte dos deputados Carlos Gaban: "O governador vai comunicar a rasteira que ele deu no presidente do Legislativo e pedir que não haja revolta”. Em uma sessão esvaziada...
Bahia irá triplicar para 100 milhões/t movimentação de cargas Porto de Salvador tem projeção de ampliação da movimentação de cargas. A movimentação dos portos baianos deverá sair dos 36 milhões de toneladas anu...
Tropas federais continuarão mobilizadas na Bahia, mesmo com fim da greve de PMs Movimentação de tropas militares no terminal náutico no comércio. A operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) autorizada para minimizar os impact...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br