Alunas da Fundação Cidade-Mãe se apresentam na Câmara Municipal de Salvador

Alunas da Fundação Cidade-Mãe se apresentam na Câmara Municipal de Salvador.

Alunas da Fundação Cidade-Mãe se apresentam na Câmara Municipal de Salvador.

Após uma temporada de apresentações no Mercado Iaô, o grupo de balé afro d lírico da Fundação Cidade Mãe (FCM) se apresentou na sexta-feira (26/02/2016) em sessão especial na Câmara Municipal de Salvador. O espetáculo foi composto por cerca de 25 integrantes do curso de dança profissionalizante oferecido nas unidades da FCM, órgão vinculado à Secretaria Municipal de Promoção Social, Esporte e Combate a Pobreza (Semps).

A apresentação foi intitulada “Okan Awa”, que significa “Nosso coração, nossa alma”, inspirado nas canções da cantora lírica e integrante do departamento de dança da Universidade de São Paulo (USP), Inaicyra dos Santos. “Escolhemos a dança afro porque aproximamos ela dos jovens, diminuímos a resistência e aumentamos a sensação de pertencimento cultural de cada uma delas. O grupo é formado por 90% de meninas negras e elas precisam se identificar na dança”, destacou um dos coreógrafos, Dionísio Filho.

Uma das solistas da apresentação, Lorena, 17 anos, sonha em ser bailarina profissional. “Eu danço desde pequena. Quando vim para a fundação tentei fazer o curso de Administração, mas não consegui. Acho que foi até bom. Quero me profissionalizar e crescer como bailarina para realizar o sonho da minha mãe, já falecida, que me incentivou muito e do meu pai, que me acompanha sempre nas apresentações”.

Segundo a gestora da FCM, Risalva Teles, o ganho social é a melhor recompensa do trabalho. “Nosso papel é buscar oportunidades e estamos mais uma vez mostrando o trabalho de varias comunidades carentes. O resultado tem sido muito bom pois temos descoberto talentos tanto nas artes como na moda. Estamos maravilhados”, afirmou.

Transformação – Já para o coreografo Jair Silva, o principal resultado é a transformação social que a dança pode causar nas jovens. “Aqui elas participam de um laboratório de criação e interpretação. Elas estudam a parte teórica, colaboram com conteúdos e juntos formamos as coreografias. Todo esse trabalho interfere diretamente na vida de cada uma delas”, relatou.

O professor destacou um dos grandes diferenciais do curso de dança é ter um caráter de jovem aprendiz. “Essa é a segunda turma formada por jovens aprendizes que se profissionaliza em dança no país. As empresas contratam eles e os liberam das atividades nas suas sedes para que eles possam desenvolver atividades profissionalizantes nas unidades da FCM. É ganho social muito grande”.

Além da apresentação de dança, diversas obras como telas, moveis e artigos de decoração produzidos por alunos de todas as unidades foram expostos na entrada da Câmara Municipal. Todas as peças foram confeccionadas com materiais recicláveis, como papeis e garrafas pet, tecidos, ferro e afins, correlacionado com o tema sustentabilidade.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br