Prefeitura de Salvador lança coleção do Selo João Ubaldo Ribeiro

Prefeito ACM Neto lança selo literário João Ubaldo Ribeiro Barroquinha.

Prefeito ACM Neto lança selo literário João Ubaldo Ribeiro Barroquinha.

Um ano e meio depois de lançado, o Selo João Ubaldo Ribeiro – Ano I teve a coleção de obras produzidas por autores baianos lançada ao público em cerimônia na noite desta quinta-feira (25/02/2016), no Espaço Cultural da Barroquinha, em frente à Praça Castro Alves. O prêmio literário foi instituído em 2014 pela Prefeitura, através da Fundação Gregório de Mattos (FGM), e tem como objetivo incentivar a produção literária na cidade e dar oportunidade a novos escritores.

A coleção conta com oito obras, sendo sete novas e uma republicada, produzidas por autores soteropolitanos ou residentes em Salvador, e serão disponibilizadas em duas plataformas: impresso e digital. Os livros impressos serão doados para cada biblioteca pública de Salvador e da Bahia, além de distribuição em todos os estados do Brasil, Academia de Letras da Bahia, Gabinete Português de Leitura e embaixadas dos países lusófonos.

Já a versão digital da coleção será disponibilizada por meio da FGM, no site www.culturafgm.salvador.ba.gov.br. A intenção é permitir ampla divulgação das produções, bem como acesso à população, que poderá fazer consultas e leituras nesses locais. Cada obra conta com tiragem de dois mil exemplares, sendo 200 na modalidade Braille e 200 na modalidade Audiolivro.

O prefeito ACM Neto lembrou que João Ubaldo era vivo quando o selo foi lançado. “Essa é uma homenagem a quem divulgou a literatura baiana e brasileira para o mundo. É um selo que permite a publicação de obras que talvez não tivessem chances de serem lançadas por falta de apoio comercial, estimulando a leitura e a produção local”, declarou. Também participaram do evento o presidente da FGM, Fernando Guerreiro, e a filha de João Ubaldo, Emília Ribeiro.

Emoção dos autores – Para os autores cujas obras foram selecionadas, o prêmio é muito mais do que a publicação dos livros – é também abertura de caminhos e de oportunidades, além de realização e afirmação de talentos e carreiras. Goli Guerreiro, autora de “Alzira está morta”, disse que não há sorte maior para um romance de estreia. “Veja só! Receber um prêmio que leva o nome do grande João Ubaldo Ribeiro”, destacou. Sentindo-se honrada pela premiação, Betania Paz Lisboa, autora de “O circo da alegria”, afirmou que o Selo João Ubaldo Ribeiro valoriza o escritor baiano. “Isso me motiva a continuar a jornada de escritora””.

Para Ian Fraser, autor de “O sangue é agreste”, é uma honra iniciar a carreira por meio da iniciativa. “Meu primeiro romance está sendo lançado pelo selo que carrega o nome de João Ubaldo Ribeiro, um dos maiores escritores da literatura baiana e mundial. Investir em projetos que estimulam a literatura, seja no âmbito da realização ou da leitura, é uma ferramenta essencial para preservar o patrimônio nacional bem como fomentar o desenvolvimento e crescimento coletivo”.

A autora de “Crônicas hipermodernas”, Mar Zalez, reflete: “Abrir um livro é lançar a luz sobre ele, dar à luz, ou dar vida. Então vencer o Selo João Ubaldo significa que meu texto vai iluminar-se e existir através de mais leitores. Espero estar à altura de representar a categoria crônica, um gênero dominado com maestria por João Ubaldo”.

O escritor Renato de Oliveira, autor de “Mar Interior”, afirmou que a iniciativa da FGM atende a aspiração dos autores baianos, favorecendo a divulgação e reconhecimento do trabalho deles. “Doutra parte homenageia nosso grande homem de letras, de quem fui colega no Colégio Central entre 1956 e 1957. É grande a emoção”.

Paulo Henrique Alcântara, autor da peça “Partiste”, também ressaltou a importância do prêmio. “Como dramaturgo, louvo a iniciativa da Fundação Gregório de Mattos em incluir no Selo João Ubaldo Ribeiro um espaço para a publicação de um texto de teatro. Trata-se de um reconhecimento à dramaturgia, preenchendo uma lacuna, já que peças de teatro, sobretudo baianas, ainda são pouco editadas”.

O veterano Ordep Serra comemorou a iniciativa com o lançamento do mais novo livro, “A devoção do diabo velho”. “A criação do selo João Ubaldo Ribeiro foi uma iniciativa muito feliz, importante e promissora não só para a nossa cidade como também para a Bahia e o Brasil. É uma oportuna homenagem a um de nossos maiores escritores. Com certeza ela o deixaria feliz, pois tem repercussão positiva na produção literária baiana e brasileira e valoriza sua terra. É uma grande honra”, declarou.

O selo também visa republicar uma obra literária de grande relevância e que não se encontra em circulação no mercado. O selecionado para esta primeira edição foi “Canudos: a luta”, de José Guilherme da Cunha. “Para mim, o Selo João Ubaldo Ribeiro foi a excelente oportunidade que tive para a republicação de minha obra e sua divulgação pelo nosso país e para além dele, através das embaixadas dos países lusófonos”.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br