Sobre atuação do delegado federal Marlon Cajado, advogado do ex-presidente Lula avalia que “nada justifica conduta” do servidor

Advogado avalia que nada justifica investigação do ex-presidente Lula.

Advogado avalia que nada justifica investigação do ex-presidente Lula.

Em nota divulgada na quinta-feira (03/02/2016) por Cristiano Zanin Martins, advogado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, informa que “nada justifica conduta do delegado federal”, ao colocar o ex-presidente Lula como investigado no Inquérito 1621/2015.

Confira o teor da nota do advogado de Lula ao delegado Marlon Cajado

Nada justifica a conduta do delegado federal Marlon Cajado ao afirmar que o ex-presidente Lula seria investigado no Inquérito 1621/2015. O ex-Presidente foi ouvido no dia 6 de janeiro na condição de informante, sem a possibilidade de fazer uso das garantias constitucionais próprias dos investigados. Não há nenhum elemento que justifique a mudança do tratamento.

Cristiano Zanin Martins, advogado

Baixe

Depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à PF, ocorrido em 6 de janeiro de 2016

 

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: diretor@jornalgrandebahia.com.br.