Feira de Santana: vereador diz que greve dos professores da rede municipal é legítima

Vereador Beldes Luis Pereira Ramos defende greve dos professores do município de Feira de Santana.

Vereador Beldes Luis Pereira Ramos defende greve dos professores do município de Feira de Santana.

Na manhã desta quarta-feira (24/02/2016), durante discurso na tribuna da Casa Legislativa, o vereador Beldes Ramos (PT) responsabilizou o Governo do Município pela falta de aula nas escolas da rede municipal de Feira de Santana devido à greve dos professores.

Em sua opinião, o poder público municipal não se preparou para o cumprimento da lei federal, que garante aos docentes a reserva de 1/3 da carga horária para planejamento, estudos e avaliações.

“A greve é legítima, não é como o vereador Lulinha disse aqui que é birra de professor, porque eu não vejo como birra quando você luta pelos seus direitos e quer vê-los garantidos”, disse o petista.

Beldes afirmou que o Governo Municipal não tem cumprido com a palavra, relatando que no final de 2014, quando foi aprovado o orçamento de 2015, o ex-líder governista, vereador Carlito do Peixe (DEM), trouxe à tribuna a mensagem do prefeito José Ronaldo de Carvalho garantindo que em janeiro do ano passado os agentes comunitários de saúde teriam no contracheque o piso salarial que foi assegurado por lei federal.

“Estamos em fevereiro de 2016 e não se cumpriu aquilo que foi colocado aqui”, queixou-se. O oposicionista acredita que Carlito do Peixe foi vítima da “mentira” do Governo Municipal, quando transmitiu a mensagem governamental.

Partindo desse pressuposto, ele disse que a APLB Feira está correta em exigir a criação de uma lei municipal que garanta os direitos dos professores. O petista informou que o Governo do Estado da Bahia cumpre a lei federal que garante aos docentes a reserva de 1/3 da carga horária para planejamento, estudos e avaliações.

“Em vez de se mirar em quem não cumpre, vamos nos mirar em quem cumpre; vamos nos mirar no Governo do Estado, que já cumpre e vamos fazer com que Feira de Santana cumpra. Não é correto, em hipótese alguma, diminuir a legitimidade da luta pela garantia desse direito dos professores, através da APLB”, declarou o petista, afirmando que não vê nenhuma truculência por parte da presidente da APLB, Marlede Oliveira, nas negociações.

Na oportunidade, Beldes Ramos voltou a cobrar do Governo do Município o Plano Municipal de Educação para que seja votado na Casa da Cidadania.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br