Durante evento promovido pela APLB Sindicato-Feira, representante da categoria defende valorização dos profissionais da educação

Professora Marlede Oliveira coordena evento.

Professora Marlede Oliveira coordena evento.

“Educação de qualidade passa pela valorização dos profissionais”. A afirmação foi feita pelo diretor de formação sindical da APLB Sindicato-Salvador e Professor, Marcos Marcelo Barreto durante um debate na manhã desta quinta, (18/02/2016), promovido pela APLB Sindicato-Feira, no Espaço Kilogrill em Feira de Santana.

No encontro com os Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação de Feira de Santana que teve como objetivo expor o modelo da reserva de 1/3 da carga horária (principal motivo da greve da categoria) aplicado na capital baiana, o sindicalista enfatizou a necessidade da valorização profissional, que não envolve apenas questões salariais.

“Valorizar a educação não é só pagar melhor. Dinheiro é consequência, não é a causa da greve. O motivo da greve da categoria é o não cumprimento de uma lei que existe [11.738/200, que trata da reserva de 1/3 da carga horária] e a busca por uma educação melhor para os jovens de Feira de Santana”, atentou Marcos Marcelo.

Após a explanação do diretor sindical, Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação presentes participaram com perguntas sobre questões pertinentes relacionadas à reserva da carga horária no município – que ainda não foi implantada.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br