APLB Feira de Santana recusa proposta e mantém greve

Marlede Oliveira dirige a Aplb em Feira de Santana.

Marlede Oliveira dirige a Aplb em Feira de Santana.

Durante negociação com o governo municipal ocorrida na manhã desta sexta (19/02/2016), foi exposto ao comando de greve a proposta de aplicação da reserva de 1/3 da carga horária apenas para 88 Professores do contingente de 1.066 docentes que atuam em sala de aula na rede municipal atualmente. Na tarde de hoje (19/02/2016), a categoria decidiu em assembleia, por unanimidade, não acatar a proposta do governo.

De acordo com a secretária municipal de Educação, Jayana Ribeiro, a aplicação da reserva de forma gradativa nesta primeira fase abrangeria somente os 88 Professores que ingressaram na rede até o ano de 1990, ou seja, que têm 25 anos ou mais de serviço, estando preste a se aposentarem – 62 destes possuem a carga horária atual de 40h e 26, de 20h. Com a proposta do governo, apenas cerca de 8\% da rede seria beneficiada com o pleito.

Na assembleia ocorrida no Espaço Kilogrill, a categoria rejeitou a proposta do governo. Com isso, a greve dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação da rede municipal de Feira de Santana segue firme.

Na próxima terça, 23, a categoria irá para a Secretaria Municipal de Educação (Seduc) onde o comando de greve participará de uma negociação com o governo, previamente agendada para as 10h30; às 14h os Trabalhadores farão uma assembleia no Espaço Kilogrill.

Cerca de 47 mil estudantes da rede municipal de ensino seguem sem aulas há mais de uma semana – desde o dia 11 –, quando a greve foi deflagrada no município tendo como principal reinvindicação a aplicação da lei nº 11.738, que determina a reserva de 1/3 da carga horária dos Professores para planejamento, avaliação e estudos.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br