APLB Feira de Santana decreta greve na rede municipal de ensino por tempo indeterminado

Cenas da reunião da APLB Feira de Santana em que foi decretada greve por tempo indeterminado.

Cenas da reunião da APLB Feira de Santana em que foi decretada greve por tempo indeterminado.

A diretoria da APLB Feira de Santana (Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia) emitiu nota hoje (11/02/2016) informando que a categoria de professores da rede municipal de ensino de Feira de Santana decretou greve por tempo indeterminado. Segundo a entidade, a decisão é decorrente do fato do município não atender à pauta de reivindicação da categoria.

Confira o teor da nota ‘Paralisação por tempo indeterminado a partir de hoje, 11, na rede municipal de ensino’

Mais de 500 Trabalhadores em Educação decidiram – por unanimidade –, durante assembleia ocorrida na manhã desta quinta, 11, no espaço Kilogrill, iniciar uma paralisação por tempo indeterminado. A categoria tem como reivindicação principal a reserva de 1/3 da carga horária para planejamento das atividades docentes.

Durante a assembleia com a categoria, o advogado da APLB Feira, Maximiliano Ataíde, destacou o papel do sindicato na luta pela garantia dos direitos dos Trabalhadores e atentou para a importância da participação da mesma nas assembleias e atos promovidos pela APLB – Sindicato Feira, lembrando da luta pelo pagamento do auxílio transporte em dinheiro onde a APLB uniu forças junto a outras representações sindicais e conseguiu o pleito beneficiando todos os servidores públicos municipais.

Na oportunidade, o advogado esclareceu ainda algumas questões com a categoria, como o direito de Trabalhadores em Educação em estágio probatório participarem do movimento. Segundo ele, estes profissionais têm o direito de atuar na luta e nenhum gestor poderá demiti-los nem colocar falta para aqueles que estejam participando do movimento.

Na próxima segunda, 15, os Trabalhadores em Educação irão até a sessão plenária que marca o retorno das atividades do legislativo, na Câmara Municipal de Vereadores, para expor as reivindicações da categoria por melhorias para a educação feirense, sobretudo, com a luta principal pela garantia da reserva de 1/3 da carga horária.

 

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: diretor@jornalgrandebahia.com.br.