Secult Bahia encaminha ofício ao prefeito de Feira de Santana solicitando que verifique a possibilidade de manutenção das características arquitetônicas do Centro de Abastecimento

Ofício nº 022/2016 encaminhado pela SECULT Bahia para a Prefeitura de Feira de Santana.

Ofício nº 022/2016 encaminhado pela SECULT Bahia para a Prefeitura de Feira de Santana.

Vista aérea do Centro de Abastecimento de Feira de Santana. Centro Comercial Popular de Feira de Santana será construído em área do Centro de Abastecimento.

Vista aérea do Centro de Abastecimento de Feira de Santana. Centro Comercial Popular de Feira de Santana será construído em área do Centro de Abastecimento.

O Secretário Estadual de Cultura (SECULT Bahia), Cláudio Palma de Mello (em exercício), encaminhou no dia 6 de janeiro de 2016 ofício nº 022/2016 ao prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo de Carvalho (DEM). O ofício é decorrente de intervenção arquitetônica no Centro de Abastecimento, promovida pela Prefeitura Municipal de Feira de Santana (PMFS), com a finalidade de construir o Centro de Comércio Popular de Feira de Santana (Shopping Popular)

No documento, o secretário destaca a posição do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC), conforme Parecer Técnico n° 004/15, que aborda a necessidade de preservação das características socioculturais e socioeconômicas do Centro de Abastecimento de Feira de Santana. Na sequência, ele solicita que o prefeito verifique a possibilidade de manter a atual estrutura arquitetônica do Centro de Abastecimento.

Parceria e concessão

A Prefeitura de Feira de Santana, através de Parceria Público/Privada (PPP) com a Grupo UAI, constrói e concede por 30 anos o Centro de Comércio Popular de Feira de Santana (Shopping Popular). O equipamento foi projetado para ocupar parte da área do Centro de Abastecimento, abrigando 2 mil lojas e gerando 3 mil empregos diretos.

A PPP foi assinado em 14 de outubro de 2015. A obra está sendo executada pelo Consórcio Feira Popular – consórcio comercial formado por 4 empresas, liderada pelo Grupo UAI – e tem prazo de conclusão de 14 meses. Segundo a PMFS, o custo do equipamento é estimado em R$ 55 milhões. Em nota, emitida pelo Grupo UAI, o custo total do Shopping Popular foi avaliado em R$ 92 milhões. O consórcio será, também, responsável pela operação e manutenção do equipamento.

Segundo a PMFS, um dos diferenciais do projeto é que o terreno onde será edificado o empreendimento permanece como a propriedade do Município de Feira de Santana. Após 30 anos de exploração pelos empreendedores, o equipamento é incorporado como patrimônio municipal.

Parecer

O Parecer Técnico n° 004/15, emitido em 29 de maio de 2015, pela Diretoria de Preservação do Patrimônio Cultural (DIPAT) do Instituto do Patrimônio Artístico Cultural da Bahia (IPAC) concluí que:

– O Centro de Abastecimento de Feira de Santana é parte da própria identidade e características da cidade e vem, durante o tempo de existência e funcionamento, demonstrando grande dinamismo constituindo-se, assim, referência cultural não só para esta urbe, mas para a região.

– O Centro de Abastecimento apresenta grande relevância para a memória cultural e economia feirense, portanto baiana. É um lugar singular porque no somatório de atividades mercantis, artesanais e culturais demonstra esta qualidade.

– Ameaçado de desativação ou remanejamento para construção de um shopping popular com características diversas e exóticas, é de suma importância que o Centro permaneça onde está com sua dinâmica própria, para adquirir a densidade histórica necessária e possa, em um futuro próximo, conquistar, a chancela de Patrimônio Cultural Imaterial da Bahia. Ademais a Cidade de Feira de Santa necessita de referências históricas e culturais salvaguardadas para não perder parte de sua memória e identidade cultural.

– Necessário será a requalificação e revitalização do espaço, tematizando seus lugares, tornando-os atrativos, inclusive turisticamente, onde tradição e modernidade possam conviver em harmonia e não se corra o risco de ver fenecer parte significativa e formadora da construção das identidades feirenses e baianas.

Baixe

Parecer Técnico n° 004/15 elaborado pelo IPAC sobre o Centro de Abastecimento de Feira de Santana

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: diretor@jornalgrandebahia.com.br.