Ministro Jaques Wagner deve representar presidência da República na entrega de mensagem do Executivo ao Congresso Nacional

Ministro  Jaques Wagner conversou com jornalista após evento em memória às vítimas do holocausto.

Ministro Jaques Wagner conversou com jornalista após evento em memória às vítimas do holocausto.

O ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, disse não acreditar que a presidenta Dilma Rousseff compareça ao Congresso Nacional na abertura dos trabalhos do Legislativo em 2016, na semana que vem. Wagner disse que há 90% de ele representar o governo este ano, já que “é praxe” que o chefe da Casa Civil represente a Presidência nesse ato, com exceção do primeiro ano dos primeiros mandatos.

Segundo o ministro, a decisão não é um sinal negativo para o governo, que busca ampliar o diálogo com os parlamentares.

“Acho que a sinalização positiva, apresentarmos a base de um diálogo consistente e construtivo, que se estende, inclusive, com a oposição”, acrescentou o ministro em referência à reativação do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social.

Wagner conversou com jornalistas após participar de evento da Ordem dos Advogados do Brasil sobre o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto.

Ele disse que a lista do Conselho foi fechada em 92 membros, mas a presidenta pode decidir ampliar a participação na segunda reunião, prevista para abril, já que “muita gente” procurou a ele e a Dilma dizendo que “gostaria de dar sua contribuição”.

*Com informações da Agência Brasil.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br