Ministro assegura R$ 1,25 milhão pra UESC e estuda financiar novos centros tecnológicos

Ministro Celso Pansera e parlamentares baianos. Ministro garantiu que vai abrir linhas de financiamento para incentivar organizações que desenvolvem inovação em biotecnologia em favor do interesse público.

Ministro Celso Pansera e parlamentares baianos. Ministro garantiu que vai abrir linhas de financiamento para incentivar organizações que desenvolvem inovação em biotecnologia em favor do interesse público.

O ministro de Ciência e Tecnologia, Celso Pansera, comprometeu-se nesta segunda-feira (11/01/2016) a abrir linhas de financiamento para incentivar organizações que desenvolvem inovação em biotecnologia em favor do interesse público. É o caso da Organização Social Moscamed, sediada em Juazeiro, que desenvolve a criação de mosquitos transgênicos responsáveis por impedir a reprodução do Aedes Aegypti.

Em reunião com o secretário estadual de Ciência e Tecnologia, Manoel Ribeiro, e com os deputados Jorge Solla e Afonso Florence (ambos do PT), o ministro elogiou o trabalho desenvolvido pela Moscamed e destacou que projetos desta natureza terão prioridade.

“É uma experiência em curso em Jacobina e Juazeiro, que já em análise pela Casa Civil para que possa ser usada em todo o país no combate a doenças como a Zika, Chikungunya e dengue, mas que precisa de financiamento para continuar a desenvolver inovação. Não só ela como tantos outros pesquisadores do país que porventura não encontram na iniciativa privada quem financie este tipo de projeto, que têm, todavia, alto interesse público envolvido”, destaca Jorge Solla.

No encontro, o ministro disse ainda que irá avaliar como contribuir na construção dos dois novos centros tecnológicos da Bahia, no oeste e sul do estado, que funcionarão nos moldes do centro já existente em Salvador. Ele revelou o financiamento do ministério no valor de R$ 1,25 milhão ao projeto de GigaSul, que prevê a instalação de cabos de fibra ótica entre instituições de ensino e desenvolvimento de pesquisa no sul do Estado.

“É muito importante este financiamento, porque diminui as desigualdades regionais em nosso estado e nosso país. Em pouco tempo, um pesquisador em Itabuna poderá ter similar condição de inovar que os pesquisadores que estão nos centros do país, ampliando a inclusão social destes trabalhadores e a competitividade de nossa indústria, de nossa agricultura, de nossos serviços”, destaca Jorge Solla.

O Projeto Rede Sul-Baiana de Comunicação em alta velocidade para Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação (Gigasul) tem o objetivo a implantação de uma rede rápida para o tráfego de dados entre as instituições de ensino e pesquisa e prefeituras de Ilhéus e Itabuna, empresas do Polo de Informática de Ilhéus como elemento relevante para o desenvolvimento científico-tecnológico do Sul da Bahia. Além da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), participam do Projeto a SECTI, SINEC, SENAI, UFSB, AMURC, CEPLAC, CEPEDI, IFBA, IFBaiano, Santa Casa de Itabuna, prefeituras de Ilhéus, Itabuna e Uruçuca.

Na região da antiga Ceplac, próximo à Uesc e integrado à esta rede de cabos, será construído o centro tecnológico do Litoral Sul, com vocação para às ciências da informação e a agroecologia, e a na região Oeste da Bahia, entre Barreiras e Luís Eduardo Magalhães, outro centro tecnológico tem a ambição de desenvolver inovação para aumentar a produtividade do agronegócio e da pequena propriedade rural.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br