Governo vai vender 239 imóveis da União com ajuda da Caixa Econômica Federal

Governo vai vender 239 imóveis da União com ajuda da Caixa Econômica Federal.

Governo vai vender 239 imóveis da União com ajuda da Caixa Econômica Federal.

O governo vai vender imóveis da União com intermediação da Caixa Econômica Federal. Hoje (19/01/2016) o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão publicará portaria no Diário Oficial da União com o primeiro lote disponível, de 239 unidades. Estão inclusos nesse pacote imóveis que o governo chegou a licitar em 2015, mas que não atraíram compradores.

Segundo o secretário de Patrimônio da União, Guilherme Estrada Rodrigues, a expectativa é que agora, com a participação da Caixa, a venda seja bem-sucedida. “A Caixa é que vai promover, fazer contato com possíveis investidores interessados. Eles têm meio de fazer com mais eficiência que a própria administração pública”, afirmou. Segundo ele, as linhas de crédito disponíveis para os interessados nos imóveis serão as já oferecidas atualmente pela Caixa.

A expectativa é que, 45 dias após a divulgação da portaria, o banco público libere o edital de licitação dos primeiros imóveis. A intermediação da Caixa foi autorizada pela Medida Provisória 691, depois convertida na Lei nº 13.240, sancionada pela presidenta Dilma Rousseff em 30 de dezembro do ano passado. O banco receberá remuneração de 3,5% do valor da venda. Mais licitações serão anunciadas ao longo de 2016, com previsão de arrecadação de R$ 1,5 bilhão em todo o ano.

Residências oficiais

Entre os 239 imóveis, 61 ficam no Distrito Federal (DF) e 58, em Minas Gerais. O restante está em 21 estados, como Rio de Janeiro e São Paulo. As unidades disponíveis no DF incluem as residências oficiais do Ministério da Fazenda e da Casa Civil, na Península dos Ministros, ambas desocupadas. Também estão na lista 27 apartamentos funcionais nos bairros da Asa Norte e Asa Sul, na área central da capital federal.

Segundo Guilherme Estrada, o dinheiro arrecadado com as vendas irá para conta no Tesouro Nacional pertencente ao fundo do Programa de Administração Patrimonial Imobiliária da União, destinado a melhorar a sustentabilidade, acessibilidade e eficiência energética dos prédios públicos.

Em agosto do ano passado, o governo informou pela primeira vez a intenção de licitar imóveis da União com o intuito de reduzir despesas e arrecadar dinheiro para reformas e construção de novos prédios. Na ocasião, o atual ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, ainda estava à frente do Ministério do Planejamento. Atualmente, quem comanda a pasta é o ministro Valdir Simão.

*Com informação da Agência Brasil.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br