Entidades, artistas e políticos emitem nota de pesar pelo falecimento de Wesley Rangel

Wesley Rangel fez da WR a Casa da Música Baiana, dando oportunidade a novos talentos.

Wesley Rangel fez da WR a Casa da Música Baiana, dando oportunidade a novos talentos.

Wesley Rangel (com microfone) é homenageado no Troféu Castro Alves em 2013.

Wesley Rangel (com microfone) é homenageado no Troféu Castro Alves em 2013.

Morreu em Salvador, na madrugada desta quarta-feira (06/01/201), aos 65 anos, o produtor musical e cultural Wesley Rangel. A informação foi divulgada por meio de nota da assessoria do produtor. Wesley Rangel lutava contra um câncer de próstata com metástase óssea há cinco anos.

Fundador da WR Estúdios, gravadora responsável pela projeção nacional de artistas da axé music, Rangel participou ativamente do mercado fonográfico baiano.

Ele produziu e colaborou para o sucesso de artistas como Juca Chaves, Luiz Caldas, Chiclete com Banana, Ivete Sangalo, Edson Gomes, Banda Reflexus, Olodum, Daniela Mercury, Timbalada, É O Tchan, Terra Samba, Companhia do Pagode, Gang do Samba, Araketu As Meninas e Babado Novo.

Wesley Rangel, perfil

Wesley Rangel é um baiano de Iramaia, que chegou em Salvador em 1967 para estudar. Cursou Administração de Empresas e posteriormente Direito com interesse especial em Direito Autoral.

Representante da SOCINPRO em Salvador – uma das principais sociedades administradoras de Direitos Autorais do País – tem acompanhado de perto a evolução da música baiana no Brasil e no Exterior.

Produtor Musical e Cultural atuante administrou projetos em parceria com o Governo do Estado da Bahia, sendo o mais importante o Projeto Emergentes da Madrugada que proporcionou ao novo artista baiano uma oportunidade ímpar de gravar seu CD com todas as condições técnicas e ter uma quantidade de discos para o seu trabalho de vendas e divulgação.

Além desses projetos, Rangel participou ativamente do mercado fonográfico nacional, produzindo artistas de projeção internacional como Juca Chaves, Luiz Caldas, Chiclete com Banana, Edson Gomes, Banda Reflexus, Olodum, Daniela Mercury, Timbalada, É O Tchan, Terra Samba, Companhia do Pagode, Gang do Samba, Araketu As Meninas, Babado Novo.

Segundo perfil oficial do produtor musical, a maior contribuição ao mercado baiano, foi abrir as portas dos seus estúdios para o artista novo, carente de uma oportunidade para chegar ao grande público. Foi com essa filosofia de criar um mercado forte para a música baiana que Rangel fez da WR a Casa da Música Baiana.

Secult: Nota de Pesar pela morte de Wesley Rangel

A Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) lamenta a morte do produtor musical Wesley Rangel. Um dos grandes incentivadores da música baiana, ele faleceu na madrugada desta quarta-feira (6), aos 65 anos, no Hospital Aliança, em Salvador, vítima de um câncer de próstata. A SecultBA transmite o seu pesar pelo acontecimento aos familiares e amigos. Fundador da gravadora WR Estúdio, Rangel foi responsável por produzir e lançar artistas e grupos que alcançaram projeção nacional, como Luiz Caldas, Chiclete com Banana, Ivete Sangalo, Edson Gomes, Banda Reflexus, Olodum, Daniela Mercury, Timbalada, É O Tchan, Araketu, Juca Chaves e Babado Novo.

Nascido na cidade baiana de Iramaia, Wesley Rangel veio para a capital em 1967. Cursou Administração de Empresas e, posteriormente, Direito. Uma de suas grandes contribuições para a música da Bahia foi abrir as portas de seu estúdio para novos artistas, criando uma oportunidade para que alcançassem o grande público e fomentando a cadeia musical no estado. Criada em 1975, a WR formou, em 1980, uma banda com alguns dos melhores profissionais do período: Luiz Caldas (arranjos, guitarras e vocais), Cesinha (bateria), Carlinhos Marques (baixo e vocal), Alfredo Moura (Teclados e Arranjos), Carlinhos Brown e Tony Mola (Percussão), Silvinha Torres e Paulinho Caldas (vocais). Esse grupo, a partir de 1984, passa a compor a Banda Acordes Verdes, que acompanhou Luiz Caldas na turnê emblemática para o início da axé music, com o disco “Magia” e o sucesso “Fricote”.

Como reconhecimento à sua contribuição para a cultura e para a projeção da música baiana no Brasil e no mundo, em novembro de 2015, a Assembleia Legislativa da Bahia homenageou Wesley Rangel na celebração pelos 30 anos da Axé Music. A homenagem foi proposta pela Comissão de Educação e Cultura da Casa Legislativa. O corpo de Wesley Rangel será cremado às 15h30, no cemitério Jardim da Saudade, em Salvador.

Calinhos Brown: Nota de Pesar pelo falecimento de Wesley Rangel

“Tudo acontece na casa do pai. O pai é acolhedor. O pai é conselheiro. O pai é responsável. O pai é a força. E, por incrível que pareça, o axé leva esse nome de força. O pai do axé partiu para produzir novos sonhos em um lugar desconhecido, mas deixou um legado único. O maior produtor de todos os tempos da Bahia nos criou, nos recriou e nos ensinou mais do que tudo a sermos pessoas do bem, a sermos homens. Meu pai Wesley Rangel, peço que Deus o receba logo e tenho certeza que você será muito acolhido pelo seu coração e pelo tamanho da missão que você desempenhou aqui para todos nós. Só nos resta agradecer. A mim, agradecer muito! Muito obrigado meu professor. Nos encontramos um dia. Até um dia!”

ACM Neto lamenta a morte do produtor musical Wesley Rangel

O prefeito ACM Neto lamentou nesta quarta-feira (6) a morte do produtor musical e cultural Wesley Rangel, ocorrida na madrugada. “Se a Bahia hoje é o maior polo musical do Brasil, muito se deve ao trabalho de Wesley Rangel, que sempre abriu seus estúdios para as gravações e apostou em novos talentos”, disse o prefeito. ACM Neto lembrou que, antes de entrar na política, trabalhava com eventos culturais e teve muitos encontros com Wesley Rangel. “A lembrança que fica de Wesley Rangel é de um profissional muito generoso, alegre e que apostou no sucesso da música baiana. Ele foi um visionário. Aos amigos e familiares de Wesley Rangel, os meus sentimentos”, afirmou o prefeito.

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: diretor@jornalgrandebahia.com.br.