Coreto, por Ana Maria Mendes

 Coreto da Igreja Matriz (Feira de Santana - Bahia) Fonte: bahiaja.com.br

Coreto da Igreja Matriz (Feira de Santana – Bahia)
Fonte: bahiaja.com.br

Sempre volto pra te rever, e nesses dias de reencontro te reverencio com saudações encantadas na memória…

O som filarmônico centenário, o riso das crianças, as campanhas políticas, os mendingos sonolentos e os namorados apaixonados, sentados em seus batentes.

Revela-me rebuliços: é um sentir-se (in) completo, diante da inútil ilusão de achar que algo nos pertence, num mundo em que o definitivo não nos alcança.

Ainda assim me torno (im) permanente ao teu lado. Subo dolorindo-me a cada pedacinho de concreto quebrado em teus degraus, toco seu pára corpo como quem acaricia a infância, observo seu teto à procura um novo céu, sinto teu cheiro de palco público e vejo do alto a história da minha vida.

(Dedicado àqueles que, ainda, podem admirar a arquitetura dos coretos e ouvir os segredos que eles nos contam.)

Sobre o autor

Juarez Duarte Bomfim
Baiano de Salvador, Juarez Duarte Bomfim é sociólogo e mestre em Administração pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), doutor em Geografia Humana pela Universidade de Salamanca, Espanha; e professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Tem trabalhos publicados no campo da Sociologia, Ciência Política, Teoria das Organizações e Geografia Humana. Diversas outras publicações também sobre religiosidade e espiritualidade. Suas aventuras poético-literárias são divulgadas no Blog abrigado no Jornal Grande Bahia. com.br.