As punhaladas contra o povo feirense | Por Genaldo de Melo

Paço Municipal Maria Quitéria, sede da Prefeitura de Feira de Santana. Artigo aborda gestão municipal.

Paço Municipal Maria Quitéria, sede da Prefeitura de Feira de Santana. Artigo aborda gestão municipal.

Confesso que conheço muitas cidades brasileiras do mesmo porte de Feira de Santana. Mas confesso também que em nenhuma cidade do mesmo porte a população é tão enfeitiçada por um gestor público como é caso dessa metrópole. A cada dia mais surge novas investidas impopulares contra a população de baixa renda, que se traduz na maioria absoluta, e ninguém, absolutamente ninguém, toma a postura da indignação para ocupar a ruas, ou no mínimo ocupar aquela Câmara de Vereadores, que mais parece uma extensão do governo municipal, para pressionar os “pequenos imperadores” a se contraporem às crueldades praticadas contra o povo.

Essa semana mais duas notícias ocupam manchetes de jornais e páginas de internet, que em qualquer lugar do mundo chocaria, bem como faria com que houvesse uma revolta popular para que se voltasse atrás. O chefe do Executivo Municipal numa atitude singular para um momento em que o país passa por uma crise econômica ainda sem precedentes noticia aumento do IPTU, bem como influencia na decisão do aumento das passagens do transporte coletivo.

Em relação ao aumento do IPTU, nunca na história de Feira de Santana se aumentou tanto. Mais o chefe do Executivo Municipal com apoio de empresários, bajuladores da imprensa local, deputados que somente discursam em igrejas e esbravejam sermões sem sentido em rádios locais, 19 vereadores do “amém e do assim seja”, e da grande parcela da população que parece que tomou chá envenenado dos contos de Grimm, pega mais uma vez seu punhal do poder, e mais uma vez promove um aumento substancial, que atingirá nada mais nada menos do que exatamente a grande parcela dos enfeitiçados que moram nas periferias da cidade.

Em relação ao aumento da passagem do transporte público, essa atitude caracteriza-se como um verdadeiro “estupro social e econômico” contra uma população que em sua grande maioria sobrevive basicamente de um salário mínimo, numa conjuntura complexa, desenhada de crise absolutamente cruel e venenosa. O chamado Conselho Municipal de Transporte, que em Feira de Santana ninguém, absolutamente ninguém, sabe quem são seus membros, numa atitude nada simpática com a população aprovou aumento da passagem de R$ 2,70 para R$ 3,10. Com a certeza de que o prefeito sanciona essa decisão, com o discurso de que aumentou a gasolina e a frota é “nova em folha”, devem está rindo empresários, e mais na frente devem choramingar o povo.

Não é possível compreender a passividade de nosso povo diante desses absurdos incoerentes! A cada dia que se passa nova atitude que deveria se caracterizar como impopular é colocada diante dos olhos e dos bolsos da população, mas a mesma somente reclama e comenta em mesas de bares e “becos escuros” e nada mais. Desse jeito estamos literalmente “arrebentados”, pois temos um imperador que toma as decisões para o povo esquecer, temos vereadores que são os “bobos da corte” que não tem vida política própria, e temos um chamado Conselho Municipal de Transporte que ninguém conhece ou sabe seus nomes, que somente se reúne para aumentar a passagem do transporte coletivo.

Se não tomarmos cuidado essa mesma turma será “endeusada” de novo nas urnas no outubro próximo, para continuar com suas crueldades! E vida que segue.

*Genaldo de Melo (genaldomelo1@gmail.com), 43 anos, é sergipano radicado em Feira de Santana – Bahia. Gestor social e articulista. Desenvolve consultoria em elaboração de projetos sociais. 

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br