Reservatórios de Sobradinho e Xingó têm vazões ainda mais reduzidas

A vazão de água no reservatório de Sobradinho está hoje em 900 metros cúbicos.

A vazão de água no reservatório de Sobradinho está hoje em 900 metros cúbicos.

A Agência Nacional de Águas (ANA) decidiu manter reduzidas as vazões dos reservatórios de Sobradinho e de Xingó, no Rio São Francisco. A decisão se deve às poucas chuvas nos últimos anos, o que impacta os níveis de armazenamento dos reservatórios. Antes, as descargas mínimas instantâneas eram de 1,3 mil metros cúbicos por segundo. Hoje (01/12/2015), estão em 900 metros cúbicos. A resolução com a decisão foi publicada na edição de hoje (1º) do Diário Oficial da União e tem validade até 20 de dezembro.

A redução das vazões de reservatórios do Rio São Francisco ocorre desde abril de 2013. Segundo a ANA, o objetivo é manter os estoques de água para o uso múltiplo. Sobradinho e Xingó, por exemplo, são usados na produção de energia nas usinas hidrelétricas que levam o mesmo nome dos reservatórios. Sobradinho fica na Bahia e Xingó, na divisa entre Sergipe e Alagoas. A agência estima que, caso a medida não tivesse sido tomada, o sistema da Bacia do São Francisco operaria no volume morto desde 2014.

Até o último dia 29, Sobradinho contava com apenas 1,28% de seu volume útil. A previsão de chuva nos próximos dias no norte de Minas Gerais, onde fica a nascente do São Francisco, pode mudar o cenário. No entanto, caso as precipitações não sejam suficiente para melhorar a carga de água, a tendência é a vazão do reservatório passar para 800 metros cúbicos por segundo. A nova redução é um pedido do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). No próximo dia 15, haverá reunião sobre a situação da Bacia do São Francisco em que essa proposta será avaliada.

 70% da energia transmitida para a região Nordeste

Responsável por 70% da energia transmitida para a região Nordeste, o Lago de Sobradinho, terceiro maior lago artificial do mundo, dispõe atualmente de pouco mais de um bilhão de m/³ de água acima do volume morto. Isso significa que a quantidade útil de água acumulada pode vir a comprometer a geração de energia, afetando todo o sistema hidrelétrico do rio São Francisco, incluindo os Complexos de Paulo Afonso, na Bahia, e de Xingó, em Sergipe. Além disso, o volume reduzido de Sobradinho terá reflexos no abastecimento de importantes cidades situadas às margens do rio.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br