O fundamentalismo religioso aflorou em Feira de Santana | Por Marialvo Barreto

Marialvo Barreto é professor, geógrafo e ex-vereador pelo PT de Feira de Santana.

Marialvo Barreto é professor, geógrafo e ex-vereador pelo PT de Feira de Santana.

O ano de 2015, em Feira de Santana, Bahia, Brasil, fechou com o fundamentalismo religioso cristão em alta, ao estilo talibã, armado até os dentes com a língua, ferindo pessoas e alimentando um extemporâneo preconceito.

Refiro à posição conservadora cristã do Vereador Edvaldo Lima que coloca na condição de prostituição o sexo fora do casamento.

Na página eletrônica do jornal Tribuna Feirense do dia 16/12/2015 publica: …”eu nunca vi na história de nenhuma nação deste universo que o homossexualismo é cultura, mas o projeto que chegou a esta Casa falava de cultura sexual. O sexo é coisa boa, foi Deus que deixou, mas não como cultura. Isso é imoralidade e as pessoas estão abraçando como se fosse normal”, disse o edil, acrescentando que o sexo só é normal em uma relação de casamento entre homem e mulher. “Fora disso é tudo prostituição e Deus não se agrada nessas condições”. O vereador parabenizou os seus pares, principalmente os da bancada evangélica, que votaram contra “o projeto do demônio que chegou nesta Casa”, afirmou.

Com esta afirmação o Edil desrespeita as pessoas que não seguem a sua leitura envies da bíblia, desrespeita o direito que cada pessoa tem de opção sexual, desrespeita quem faz sexo sem ter casado – ao atribuir a este a condição de ser prostituto ou prostituta, desrespeita as famílias formadas foram do tradicionalismo cristão – e que são muitas, e ainda, desrespeita muitos dos seus eleitores.

Mas mais do que isto, quem tem mandato tem mídia, portanto, a posição preconceituosa do Edil alimenta ódios, trazendo apenas problemas para a sociedade.

As relações interpessoais avançaram no decorrer do tempo, fazendo mudar o corpo das leis, como a lei do divórcio, sintonizando com as novas dinâmicas sociais. Foram alteradas as antigas leis dos costumes, para respeitar as individualidades e as opções sexuais.

Quantas famílias extremamente religiosas conhecem o seu seio homossexualismo e heterossexuais, que sem chegarem ao casamento praticam sexo?

Não sou teórico nem estudioso de texto religioso, mas se dentro do conceito cristão foi Deus que criou todas as coisas, então a diversidade é criação, logo todo cristão deve respeitá-la, sob pena de ir para o inferno.

*Marialvo Barreto é professor, geógrafo e ex-vereador pelo PT de Feira de Santana.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br