No velório, colegas artistas destacam a grandeza da atriz Marília Pêra

Marília Marzullo Pêra foi uma atriz, cantora e diretora teatral brasileira. Além de interpretar, Marília cantava, dançava e atuava também como coreógrafa, produtora e diretora de peças e espetáculos musicais.

Marília Marzullo Pêra foi uma atriz, cantora e diretora teatral brasileira. Além de interpretar, Marília cantava, dançava e atuava também como coreógrafa, produtora e diretora de peças e espetáculos musicais.

O presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, Carlos Arthur Nuzman, a atriz Marília Pêra, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a atriz Fernanda Montenegro (Brasília, 28/12/2006).

O presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, Carlos Arthur Nuzman, a atriz Marília Pêra, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a atriz Fernanda Montenegro (Brasília, 28/12/2006).

Dezenas de amigos, em grande parte colegas de profissão, estiveram na tarde de hoje (05/12/2015) no velório da atriz Marilia Pêra, que morreu na manhã deste sábado, aos 72 anos, de um câncer no pulmão. O velório ocorreu na casa de espetáculos que leva o nome da atriz, a Sala Marília Pêra do Teatro do Leblon, na zona sul do Rio.

O acesso ao teatro foi restrito até às 15h30 a familiares e amigos. Somente a partir desse horário é que foi permitida a entrada de fãs e de jornalistas, antecedendo a saída do corpo para o sepultamento, marcado para às 17h no Cemitério São João Batista, em Botafogo, também na zona sul carioca.

No ano passado, já enfraquecida pela doença, Marília Pera dirigiu a atriz Cláudia Ohana numa remontagem da peça Callas, que a própria Marília havia interpretado em 1996, sobre a vida da célebre cantora lírica Maria Callas. Ao chegar para o velório, Claudia Ohana lembrou que, mesmo doente, Marília não perdeu a firmeza. “Ela estava bem fraca, mas era muito exigente, com o horário, com a fala, com o texto. Ela era muito firme, mas com a voz calma, sempre doce. Por causa dela, eu ganhei coragem para fazer um monólogo”, contou a atriz.

Outra atriz, Joana Fomm, não conseguiu conter a emoção ao falar da colega, com quem chegou a contracenar em um especial da TV Globo. “A Marília foi uma das maiores atrizes do mundo”, disse Joana, com a voz embargada. “Ela foi muito bacana comigo quando atuamos juntas. Também foi muito generosa comigo quando eu estive doente. Marília era uma pessoa especial”.

A atriz Nicette Bruno chegou de braços dados com as filhas, as também atrizes Beth Goulart e Bárbara Bruno. “Marília merece a nossa homenagem por tudo que fez pelo teatro, pela arte e pelo Brasil”, declarou Beth Goulart, ao entrar para o teatro onde o corpo foi velado.

Estiveram também no velório os atores Miguel Falabella, Marcos Caruso e Gracindo Júnior e as atrizes Arlette Salles, Cássia Kiss e Marieta Severo.

“Estou pasma com a perda de uma das maiores atrizes brasileiras, quando ainda se esperava muito dela”, disse a ex-ministra da Cultura Ana de Hollanda, em declaração postada em seu perfil no Facebook. “Acompanhei a carreira de Marília Pera desde, praticamente, o início e sempre notei nela uma atriz única, inimitável, com humor, leveza, força e intensidade, com total domínio do personagem e de tudo que se passava em cena. Era absolutamente sensacional assisti-la atuando”, afirmou.

Uma das últimas participações de Marília Pera foi no programa Kinoscope, da Rádio MEC FM, da EBC no Rio de Janeiro. A entrevista foi feita pelo produtor e apresentador Fabiano Canosa, em setembro passado na casa da atriz, em Ipanema, e foi ao ar em 15 de outubro último.

Marília revelou detalhes de sua trajetória ao apresentador do programa, dedicado à música feita para o cinema. Canosa abriu o programa com um sucesso de Carmen Miranda na voz de Marília, que também relembrou as outras cantoras que reviveu no teatro, como Dalva de Oliveira, Ellis Regina e Maria Callas.

Ainda no programa, que vai ao ar às quintas-feiras, às 22h, Marilia Pêra falou do filme Pixote, de Hector Babenco, que lhe valeu em 1981 o prêmio da Sociedade Nacional de Críticos dos Estados Unidos. Na película, a atriz interpretou a prostituta Sueli. “Um radialista perguntou se eu era prostituta mesmo. Fui fazer uma entrevista na rádio e ele perguntou. E eu falei: que elogio!”, lembrou.

Morre no Rio a atriz Marília Pêra

A atriz Marília Pêra, de 72 anos, morreu às 6h da manhã de hoje (05/12/2015), em sua residência, no Rio de Janeiro. A causa da morte não foi divulgada, mas há cerca de um ano ela estava afastada do trabalho por problemas de saúde.

Uma das mais completas atrizes do Brasil, Marília Pêra teve intensa atuação no teatro, televisão e cinema e também era cantora, bailarina, coreógrafa, produtora e diretora de espetáculos teatrais e musicais. A atriz nasceu no Rio em 22 de janeiro de 1943 e era filha de um casal de atores, Manuel Pêra e Dinorah Marzullo.

Aos quatro anos de idade, ela já pisava no palco, levada pelos pais, que faziam parte do elenco da companhia de Henriette Morineau. Na adolescência, passou a atuar como bailarina e intérprete em musicais como Minha Querida Lady, estrelado por Bibi Ferreira.

Nas primeiras décadas da carreira, entre seus inúmeros sucessos teatrais, destacam-se a peça Fala baixo senão eu grito (1969), de Leilah Assumpção, pela qual Marilia recebeu os prêmios Moliére e da Associação Paulista de Críticos de Arte, e os musicais O teu cabelo não nega (1963) e A pequena notável (1966), nos quais interpretou Carmen Miranda.

Ainda nos anos 60, chegou a ser presa durante uma apresentação do musical Roda Viva (1968), de Chico Buarque, considerado de contestação à ditadura militar.

Na televisão, atuou em novelas desde os tempos da extinta TV Tupi (Beto Rockfeller) e depois na TV Globo, em sucessos como Uma Rosa com Amor, Malu Mulher, Brega & Chique, Primo Basílio, Rainha da Sucata, Meu Bem Querer e a série Os Maias. Sa última aparição foi no seriado Pé na Cova, lançado em 2013.

No cinema, foi brilhante sua atuação no papel de uma prostituta no filme Pixote, a lei do mais fraco, de Hector Babenco (1980). Também foram marcantes em sua carreira os filmes Tieta do Agreste, de Cacá Diegues; Central do Brasil, de Walter Salles, e Bar Esperança, de Hugo Carvana.

A carreira de Marília Pêra soma números impressionantes. No teatro, como atriz e diretora, ela atuou em 55 peças. No cinema, foram 27 filmes e na televisão 26 participações em novelas e seriados. Marília coleciona um total de 37 prêmios de melhor atriz, entre 1969 e 2009.

Por meio do seu perfil no Twitter, a presidenta Dilma Rousseff expressou pesar pelo falecimento da atriz Marília Pêra. “Uma das artistas mais talentosas do País, que dedicou sua vida à arte”, disse a presidenta.

De acordo com a presidenta, a atriz sempre encantou os brasileiros com sua arte na televisão, no cinema e no teatro, quer fosse interpretando, cantando, dançando, dirigindo ou produzindo

A presidenta Dilma também expressou seus sentimentos aos amigos, aos familiares e ao Brasil pela perda.

*Com informações da Agência da Brasil.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br