Muro de Hormigón, símbolo da divisão e do confronto na península coreana | Por Li Hyong Il

Mapa demonstra mudanças na fronteira da Coreia. População coreana anseia pela reunificação do país e pelo fim das barreiras e interferências externas.

Mapa demonstra mudanças na fronteira da Coreia. População coreana anseia pela reunificação do país e pelo fim das barreiras e interferências externas.

A muralha de concreto construído em 29 de dezembro de 1979, pelas autoridades sul coreanas, vem servindo a 36 anos de símbolo da cisão nacional e de provocação do Sul contra o Norte.

Essa muralha dividiu 122 povoados, 8 distritos e cortou completamente 3 vias férreas, 4 rios e mais de 220 estradas. O curso da água dos rios acabou surpreendendo os animais selvagens que cruzavam livremente de Norte ao Sul e que foram mortos e o ambiente natural e ecológico, completamente destruído.

O muro não é só um obstáculo físico. De 5 a 8 metros de altura, com 10 a 19 metros de largura na parte inferior e de 3 a 7 metros na superior e com a faceta norte vertical e a sul ligeiramente inclinada, o muro possui casamatas e diversas armas pesadas, assim como, a intervalos de certa distância, portões de ferro com interruptor automático para deixar a grande coluna de efetivos moverem rápidamente e em toda a sua extensão estão estacionados os tanques, carros blindados e diversos veículos militares.

Isto significa que o muro é uma grande estrutura militar, desenhada e construída a favor da operação de ataque ao Norte. Na realidade, serve de base às tropas norte-americanas e sul-coreanas para perpetrar a maioria das provocações militares contra o Norte.

A existência da muralha acentua o fato de que atualmente a Península Coreana constitui um latente foco de guerra que ameaça a paz e a segurança mundial.

No planeta existem incontaveis muros e construções militares de grande e pequeno portes, mas nenhuma divide em duas partes um território pátrio nem promove o enfrentamento entre os compatriotas, como faz a muralha de concreto da península coreana.

A paz e segurança desta península é do interesse do mundo, o qual é reconhecido pela sociedade internacional.

Deve-se desmantelar sem demora a muralha de concreto que não só causa incontáveis desgraças e provações à nação corena como também põe a península coreana em permanente estado de enfrentamento e conflito.

*Li Hyong Il é jornalista.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br