Ministro Joaquim Levy pede que debate sobre impeachment seja superado com rapidez

Joaquim Levy: “temos de acelerar a discussão sobre o impeachment. Quanto antes superarmos isso, melhor”.

Joaquim Levy: “temos de acelerar a discussão sobre o impeachment. Quanto antes superarmos isso, melhor”.

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, defendeu o encerramento rápido do debate sobre o impeachment. Na primeira declaração pública sobre o assunto, ele disse que, quanto antes forem encerradas as discussões, melhor para o país porque o governo pode prosseguir com o debate em torno da aprovação de medidas econômicas necessárias que dependem do Congresso Nacional.

“Temos de acelerar a discussão sobre o impeachment. Quanto antes superarmos isso, melhor”, disse Levy em teleconferência com investidores e convidados do banco Brasil Plural. O encontro ocorreu ontem (03/12/2015) à tarde, mas o áudio só foi divulgado hoje pela assessoria do Ministério da Fazenda.

O ministro ressaltou que o país passa por um momento político “muito particular”, mas defendeu que o país precisa continuar enfrentando os desafios para manter a economia. Ele lembrou da importância da recriação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) para reequilibrar as contas da Previdência Social no próximo ano.

“Estamos tomando todas as medidas possíveis e necessárias para manter a economia, mas a situação é desafiadora”, afirmou. Ele reiterou que a CPMF é temporária para o país enfrentar um momento cíclico do impacto da recessão sobre a Previdência Social, mas disse que a seguridade social precisa de uma reforma de longo prazo.

O ministro também defendeu que gastos com programas sociais sejam rediscutidos e ressaltou que o governo está empenhado em regularizar os atrasos nos repasses a bancos públicos, como Banco do Brasil, Caixa Econômica e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

De acordo com o ministro, eventuais processos de impeachment são normais dentro da democracia. Ele lembrou que o ex-presidente norte-americano Bill Clinton enfrentou um processo semelhante. “Há alguns anos, houve discussões sobre o impeachment nos Estados Unidos, do presidente [Bill] Clinton. Temos de estar preparados para levar isso em conta. Apesar disso, há medidas importantes no Congresso e acredito que, apesar de ontem [abertura do processo de trâmite do impeachment de Dilma], temos que continuar a nos mexer. Temos que continuar indo em frente”, declarou.

*Com informação da Agência Brasil.

 

Outras publicações

Presidente do BC comenta o resultado do PIB de 2010 O crescimento do PIB, com os dados das Contas Nacionais divulgados hoje pelo IBGE confirma que, após a rápida recuperação dos efeitos da crise finance...
Projeto institui 14 de janeiro como o Dia Nacional do Sexo O sexo pode ganhar uma data comemorativa. O Projeto de Lei 7041/10, do ex-deputado Edigar Mão Branca (PV-BA), pretende instituir a data de 14 de janei...
Pesquisa traça perfil dos jovens da geração Y, filhos da revolução digital Rio de Janeiro - Os jovens nascidos nos anos 80 e 90, contemporâneos da revolução digital e conhecidos como geração Y, são inquietos e querem crescer ...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br