Feira de Santana – Natal Encantado 2015: Auto de Natal emociona público

Mônica San Galo e Ivete Sangalo. Artista feirense, Mônica San Galo é uma das atrações do Natal Encantado nesta sexta.

Mônica San Galo e Ivete Sangalo. Artista feirense, Mônica San Galo é uma das atrações do Natal Encantado nesta sexta.

Entre uma música e outra, trechos de poesia, trapézio passeando sobre o palco.

Entre uma música e outra, trechos de poesia, trapézio passeando sobre o palco.

Auto de Natal emocionou o público

O universo lúdico infantil e a magia do Natal estiveram presentes no Estacionamento da Prefeitura no início da noite desta quinta-feira, (17/12/2015), com a apresentação do Auto de Natal da Companhia Cuca de Teatro. O nascimento do menino Jesus é contado com bastante música, performances e interpretações que encantam pessoas de todas as idades.

O espetáculo itinerante percorreu a avenida Getúlio Vargas, e atraia a atenção por onde passava. A misteriosa Estrela de Belém, interpretada pelo ator e também diretor artístico do espetáculo Geovane Mascarenhas é o fio condutor dessa história que emociona e revela grandes surpresas. A autora e também atriz do espetáculo Elizete Destéffani faz uma livre adaptação de uma história já conhecida, recriando um texto com originalidade sem modificar a estrutura essencial.

Em noite apoteótica, banda Teatro Mágico lota praça Padre Ovídio

Começa nesta sexta-feira (18/12/2015) a disputa por uma das vagas na final da VIII edição do Festival Metropolitano de Música Gospel, no Teatro Margarida Ribeiro, às 19h. A grande final do concurso será no próximo domingo, 20, no Prime Music. A abertura da programação do evento contará pela primeira vez com apresentação do Balé da Cia de Dança Viver em Cristo.

Logo em seguida apresentação da cantora feirense Thayne Slane, e posteriormente serão conhecidos 12 candidatos à fase seguinte do festival. A entrada é gratuita.

Programação

No sábado, 19, também no Teatro Margarida Ribeiro, o Balé abrirá mais uma vez a programação, quando serão definidos mais 12 classificados. Logo após acontece a escolha dos 12 candidatos finalistas entre os 24 classificados anteriormente. Para finalizar o segundo dia, apresentação do cantor Robson e Banda Benjamitas.

O terceiro dia do Festival está prometendo agitação e muito louvor. A cantora feirense Lausanne Rocha, que vem acompanhando a mais de três anos os festivais, irá abrir a noite com algumas de suas músicas. Na sequência, os candidatos finalistas sobem ao palco para concorrer.

Serão premiados 1º, 2º e 3º lugares, melhor intérprete feminino e melhor intérprete masculino. Para fechar a programação, o cantor David Quilan se apresenta na noite do domingo, 20, na casa de shows Prime Music.

O evento está marcado para começar a partir das 19hs. No último dia serão entregues convites, na bilheteria do Prime Music, que permitirão a entrada gratuita da população.

Banda Sal agrada com o seu som atemporal

Quem assistiu ao show da Banda Sal, na segunda noite do Natal Encantado, na quinta-feira, 17, vivenciou sonoridades indefinidas. A desconstrução de conceitos enraizados. Ouviu um som atemporal, transcendental. O repertório, totalmente autoral, leva a sonoridade da banda feirense a prazerosamente percorrer o corpo. E o espírito é evidenciado em toda a sua plenitude.

Com dez anos de estrada, a Sal aos poucos vem atingindo a maturidade musical, mesmo que adote a liberdade de não submeter-se a conceitos, mas livrar-se deles. Bem ao estilo filosófico da banda, quem assistiu a sua apresentação elevou a sonoridade da alma e, livre, deixou-se invadir zonas desconhecidas e ser invadido pelo novo.

É uma banda que nas suas letras fala de amor, não do amor brega – se isto existe, mas de uma maneira transcendental, com ênfase na desordem natural das coisas, como afirmam seus componentes. A talentosa vocalista Kleyde Lessa é uma atração à parte. A sua interação com o público é um dos pontos altos do show.

Márcia Porto mostra sua versatilidade no Sarau de Quintal

O cenário poeticamente simples parecia interagir com as singularidades de Márcia Porto e Mano Gavazza, bem como a banda segura que os acompanhou no show Sarau de Quintal, no Natal Encantado. Foi um show que misturou boa música as declamações feitas por Lucas Galvão.

Intimista, a apresentação agradou ao público que não apenas lotou todas as cadeiras e ocupou parte das laterais da área ao lado da Catedral Metropolitana Senhora Santana, mas formou um grande coral.

Foi uma noite de boa música. Márcia Porto abriu o show com “Romaria”, uma das mais belas canções da MPB, de Renato Teixeira. Cantou Luiz Gonzaga e disse emocionada ao interpretar “Tocando em frente”, de Almir Sater, quando revelou ser uma das músicas que mais gosta de cantar – ou decantar.

“Concertista de viola” Marcus Biancardini pela primeira vez em Feira

O público que aprecia a boa música instrumental tem uma ótima opção na noite desta sexta-feira, 18, dentro da programação do Natal Encantado 2015: o show do instrumentista Marcus Biancardini, às 20h, na Praça Padre Ovídio. Considerado um dos principais violeiros do mundo, ele promete trazer para Feira de Santana uma apresentação ímpar.

No repertório intercalado entre causos e canções, Marcus Biancardini faz uma viagem pela história da viola, passando por Tião Carreiro, Renato Andrade, Teddy Vieira e por composições próprias. Músicas conhecidas do público também ganham um arranja especial, entoadas ao som das cordas. É a primeira vez que ele se apresenta para o público feirense.

Sobre o artista

Marcus Biancardini nasceu no dia (25/10/1978) em Goiânia, filho do professor e físico Maurício Biancardini e da fonoaudióloga Elizabeth Reis Esselin. Seus primeiros contatos com a viola surgiram nas fazendas da família no interior de Goiás, onde seu pai levava violeiros para tocar em festas familiares. Nesta época, Biancardini tinha pouco mais de sete anos de idade.

A partir dali, a sua alma de violeiro começava a seaflorar e, pouco mais tarde, por volta dos seus 15 anos, manifestou o desejo de aprender aquele instrumento que escutara durante toda a sua infância. Foi aí que ganhou sua primeira viola. Começava, então, seus estudos incansáveis das obras dos grandes violeiros da época, Renato Andrade, Tião Carreiro, Nestor, Moreno, Julião, Vanuque, Velosinho,Bambico, entre outros.

Com o passar do tempo, foi mergulhando também em busca de conhecimentos em outros universos musicais, como dos grandes violonistas Andrés Segovia,Sabicas,Paco de Lucia, do citarrista indiano Ravi Shankar e dos grandes harpistas Luis Bordon e Nicanor Zabaleta entre outros. Obstinado e perfeccionista, passava dias e noites ouvindo estes trabalhos até adquirir uma técnica de bem executar e interpretar as melodias em sua viola. M

ais tarde, formou-se em Administração de Empresas, mas a faculdade não o atraia, e ao se formar, disse aos pais: tomem o diploma, e devolvam minha viola! Firma sua individualidade, mergulha no mundo da música e surge o compositor. Era como um peixe no seu verdadeiro habitat. Uma verdadeira história de amor e dedicação entre viola e violeiro!

Pluralidade de Mônica San Galo promete encantar o público

Uma artista plural e eclética na essência da palavra. A feirense Mônica San Galo é a atração do palco principal da Praça Padre Ovídio, nesta sexta-feira, 18, dentro da Programação do Natal Encantado 2015. A apresentação será às 19h. Violonista, cantora, compositora, artista plástica, escritora, desde sempre transita por esses ambientes com desenvoltura e leveza.

Para o público feirense, Mônica trará o show Madame de Madrugada, no qual mostra um pouco da sua produção musical atual, além de interpretar à sua maneira grandes compositores conhecidos do público. Numa interação intensa com a plateia, Mônica propõe bons momentos de muita emoção, conversas íntimas e recordações alegres, que fazem parte da vida de todo mundo que gosta de música.

Sobre a artista

Mônica San Galo nasceu na cidade baiana de Feira de Santana, embora tenha sido criada na também baiana Juazeiro. Seu pai, músico amador, muito cedo enxergou a alma musical da menina e a iniciou no violão. Mônica contava seis ou sete anos quando mostrou ao pai a primeira música, encantando-o. Desde então o violão é uma extensão da artista.

Criou, produziu e dirigiu o seu DVD, Confissões de Madame, gravado ao vivo no Teatro Castro Alves, em Salvador, um trabalho de grande apuro técnico, original e sensível, recebido com aprovação pela crítica e com grande carinho do público. Sempre muito bem recebida pelo público em sua trajetória como artista plástica, Mônica se permite viver entre esses dois mundos sem no entanto se submeter à frenética velocidade que rege o tempo nos dias de hoje. A artista acredita que a arte merece ter a maturação e o tempo próprio para existir.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br