Feira de Santana – Natal Encantado 2015: apresentações de João Bosco, Filarmônica 25 de Março e do coral na sacada do Paço Municipal finalizam programação

João Bosco canta na praça padre Ovídio.

João Bosco canta na praça padre Ovídio.

Filarmônica 25 de Março regata tradição musical feirense.

Filarmônica 25 de Março regata tradição musical feirense.

O Reisado de Natal do Tomba também deu as caras para fechar com chave de ouro.

O Reisado de Natal do Tomba também deu as caras para fechar com chave de ouro.

Público prestigia eventos da edição 2015 do Natal Encantado de Feira de Santana.

Público prestigia eventos da edição 2015 do Natal Encantado de Feira de Santana.

João Bosco mostrou que é muito mais do que “Papel machê”

O entusiasmo do público durante o show de João Bosco foi tanta que a parte final mais pareceu o início da apresentação. Dono de uma voz marcante, autor de letras memoráveis da MPB, talento indiscutível no violão, o cantor mineiro foi um dos grandes nomes a se apresentar no Natal Encantado. Mais uma vez a praça Padre Ovídio pareceu pequena para tanta gente.

Em quase 90 minutos, João Bosco mostrou o que tem de melhor no seu repertório gravado por grandes nomes da música popular. E a resposta do público foi em palmas, reconhecimento supremo – quando do início e no final da cada música. Outro ponto alto foi os músicos que o acompanham: Guto Wirtti, no contrabaixo; Ricardo Silveira, na guitarra e Kiko Freitas na bateria.

A interação do público foi vista ao longo da apresentação. Mas a plateia virou coro quando João Bosco cantou “O bêbado e o equilibrista”, canção com mensagem de liberdade nas entrelinhas, grande sucesso na voz de Elis Regina, quando da ditadura militar. Foi a plateia quem a cantou – ele apenas começou e passou a responsabilidade para o outro lado da praça.

Os fãs não se contiveram quando, na canja, ele apresentou “Papel machê”, outro sucesso que foi acompanhado com vontade pela plateia. João Bosco agradeceu a presença de todos. Lembrou que nesta época do ano as pessoas ficam sensíveis e sempre tem esperança que tudo se revire.

Nascimento de Jesus encerra Natal Encantado na sacada da Prefeitura

O Reisado de Natal do Tomba também deu as caras para fechar com chave de ouro

O último ato do Natal Encantado nas sacadas do Paço Municipal da Prefeitura de Feira de Santana foi marcado pela reverência ao nascimento do menino Jesus. A sua história foi contada através de música com o Coral do Maestro Miro.

Enquanto muitos soltavam a voz nas janelas da Prefeitura, outros encenavam, nas escadarias de acesso do prédio, o nascimento de Jesus Cristo. Com coreografias harmoniosas o grupo atraiu a atenção do público, que compareceu em grande quantidade para aproveitar os últimos instantes do maior natal do interior da Bahia.

“Uma pena que já está acabando esse evento. Passar por aqui no final da tarde, nestes últimos dias, foi gratificante. Um espetáculo diferente e bonito todos os dias”, afirmou o vendedor Marcos Alberto de Oliveira.

O Reisado de Natal do Tomba também deu as caras para fechar com chave de ouro. Encenando as faces do Natal, eles saíram da frente da Prefeitura e seguiram até a praça Padre Ovídio, percorrendo as principais vias da cidade.

Com quase 150 anos de história, Filarmônica 25 de Março mostra todo vigor

Feira de Santana tem uma longa tradição musical de filarmônicas. A 25 de Março é a mais antiga. Fundada em 1868 e se aproximando do seu sesquicentenário (150 anos) a entidade vive uma de suas melhores fases. Após um  longo período desativada, a 25, como é mais conhecida, voltou com o fôlego renovado e tem feito apresentações dignas dos grandes maestros e compositores que por lá passaram e fizeram história. A exemplo de Estevam Moura e Tertuliano Santos. Ambos até hoje têm suas obras interpretadas por grandes agremiações do gênero em todo o Brasil.

Em 2014, aliás, o maestro Estevam Moura foi lembrado pela atual diretoria da 25 de Março,que tem como  presidente o também secretário municipal  de Planejamento Carlos Brito.O renomado maestro teve seu nome escolhido para batizar a escola de música da 25 de Março que está em plena atividade.

Atualmente estão matriculados 25 estudantes de Feira de Santana, todos avançando no aprimorando técnico e musical para futuramente poderem atuar na própria agremiação. Em três anos de realização o projeto Natal Encantado tem colaborado significativamente, para estreitar a relação entre as Filarmônicas e o público.

A iniciativa da Secretaria de Cultura, Esporte e Laser vem diversificando o tipo de música que é ouvida na cidade e no evento natalino em especial, o que na opinião do maestro Antonio Carlos Neves tem uma importância fundamental para motivar a continuidade do trabalho. “É uma alegria poder participar de um festival natalino de tanta visibilidade, o que enaltece e motiva o nosso trabalho que visa a valorização da cultura local” pontuou.

Ao encerrar as apresentações deste ano no palco localizado no estacionamento da prefeitura, dentro da Programação do Natal Encantado 2015, a Filarmônica 25 de Março agradou pessoas de várias idade, cativando a audiência de gente de todas as gerações. A maioria das filarmônicas por todo o Brasil surgiu com o objetivo de, por um lado, oferecer instrução e o ensino da arte musical às populações, carentes nesse sentido, e por outro, de servir a celebração da sua fé.

Em Feira de Santana esses dois aspectos estão sendo valorizados justificando plenamente o esforço que a prefeitura tem feito no apoio a essas entidades. Para o maestro Antonio Carlos Neves é a realização de um sonho. Conforme os pais dele, Antonio Carlos e Terezinha o “Toni” tinha apenas seis anos de idade, quando a professora do maternal perguntou o que ele queria ser na vida? A resposta foi imediata e por escrito no caderno escolar: meu sonho é ser músico.

Hoje licenciado em música pela Universidade Federal da Bahia – UFBA Antonio Carlos Neves faz parte da novíssima geração de maestros baianos de primeira linha.

Público lota praça na última noite do Natal Encantado

Não dá para fugir do lugar comum: o Natal Encantado foi fechado com chave de ouro. Mais uma vez a praça Padre Ovídio lotou. Foi a última noite das comemorações natalinas. Nos palcos se apresentaram o cantor João Bosco e os vencedores dos festivais Vozes da Terra e Gospel, ambos patrocinados pela Prefeitura de Feira de Santana, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer.

A participação popular, analisa o prefeito José Ronaldo de Carvalho, é a prova que o Natal Encantado agradou aos feirenses e visitantes. “Tivemos noites animadas, apresentações emocionantes e um público bem animado, que não se contentou em assistir, mas em participar dos shows”. Para ele, o peso das atrações, tanto as nacionais como as locais, mais uma vez fez a diferença.

“Nunca vi uma iniciativa popular em tão pouco tempo carregar o peso da tradição”, afirmou José Ronaldo. “É claro que o evento vai acontecer no próximo ano e tenho certeza que o nível das atrações será mantido”. O prefeito ainda disse que o município fez complexos exercícios e simulações de reengenharia financeira para realizar o Natal Encantado, que não se resume apenas às apresentações musicais. Ele agradeceu ao empenho da equipe que fez o evento acontecer. “Estão de parabéns”.

A realização do Natal Encantado obedece a uma logística que parece fácil, mas com execução complexa. “São centenas e centenas de pessoas envolvidas nas apresentações e tudo deve estar bem planejado para que aconteça dentro do esperado”, diz o secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Rafael Cordeiro. “Tudo saiu dentro do esperado e acredito que o público gostou das atrações”.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br