Consórcios pagam mais de R$ 430 milhões em leilão de áreas do Porto de Santos

O ministro do Estado, chefe da Secretaria de Portos da Presidência da República, Helder Barbalho e o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, durante sessão pública para leilão do bloco I de arrecadamento de áreas de infraestrutura pública portuária no porto de Santos – SP, na Bovespa.

O ministro do Estado, chefe da Secretaria de Portos da Presidência da República, Helder Barbalho e o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, durante sessão pública para leilão do bloco I de arrecadamento de áreas de infraestrutura pública portuária no porto de Santos – SP, na Bovespa.

Três lotes para o arrendamento de áreas de terminais portuários no Porto de Santos foram arrendadas quarta-feira (09/12/2015) por um total de mais de R$ 430 milhões. A concessão vai permitir investimentos de cerca de R$ 1,1 bilhão no terminal. O leilão foi na sede da bolsa de valores de São Paulo, a BM&F Bovespa.

O consórcio LDC Brasil BSL venceu o leilão para arrendar a infraestrutura para movimentação de produtos agrícolas no corredor de exportação do Porto de Santos, no bairro da Ponta da Praia. O arrendamento da área de 46,8 mil metros quadrados foi garantido com uma proposta de R$ 303,069 milhões. O outro consórcio que disputava o lote, o Agrovia, ofereceu apenas R$ 5 milhões.

O consórcio vencedor deverá substituir o atual sistema de embarque de grãos vegetais do cais do Armazém, composto de dois carregadores de navios sobre trilhos esteiras, por um novo conjunto, com capacidade de, no mínimo, 3 mil toneladas por hora. O LDC Brasil BSL deverá ainda garantir a movimentação anual mínima de 3,9 milhões de toneladas de produtos, a partir do terceiro ano de vigência do contrato, chegando a 4,1 milhões de toneladas, no quinto ano.

Única concorrente, a Marimex Transportes e Serviços ganhou, com uma proposta de R$ 12,5 milhões, o arrendamento da área para construção de um terminal de celulose, no Bairro do Paquetá. São 22,5 mil metros quadrados de área nos quais serão implantados equipamentos e edificações para a recepção de cargas no terminal, além de armazenagem e embarque nos navios.

Por fim, a área de 33 mil metros quadrados no bairro do Macuco foi arrendada pela Fibria Celulose, que venceu o leilão do terceiro lote com um lance de R$ 115,047 milhões. O local já possui equipamentos para descarga, embarque e armazenagem de papel e celulose. A vencedora deverá, no entanto, garantir movimentação anual mínima de 1,6 milhão de toneladas por ano, a partir do quinto ano de contrato.

*Com informação da Agência Brasil.

Outras publicações

Indústria encerra 2015 com ociosidade recorde, diz CNI Indústria encerra 2015 com ociosidade recorde, diz CNI. O setor industrial encerrou 2015 com ociosidade recorde, de acordo com dados divulgados hoje...
Presidenta Dilma Rousseff envia ao Congresso proposta de nova CPMF Presidenta Dilma Rousseff encaminha proposta para criação de tributo. A presidenta Dilma Rousseff encaminhou nesta terça-feira (22/09/2015) ao Congr...
Indefinição do STF sobre Ficha Limpa deixa sociedade insegura, diz jurista e candidatos condenam indefinição do STF sobre Ficha Limpa O impasse no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a aplicação da Lei da Ficha Limpa nas eleições deste ano deixa a sociedade insegura, avalia o jurist...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br